Reconhecimento

Indicada ao Prêmio Inspire, Etiene Medeiros quer motivar outras mulheres

Aos 30 anos, pernambucana é um dos destaques do desporto feminino nacional

Etiene MedeirosEtiene Medeiros - Foto: Pedro Menezes/Divulgação

A nadadora pernambucana Etiene Medeiros está entre as participantes de Prêmio Inspire, que estreia na programação do Prêmio Brasil Olímpico (PBO) neste ano, quando o evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) chega à sua 22ª edição, com o intuito de enaltecer atletas femininas. 

A campeã será decidida através da escolha popular. A votação teve início na última terça-feira (30), através do site do evento, e segue até dia 7 de dezembro, quando será realizada a cerimônia de premiação, em Aracaju (SE). É, inclusive, a primeira vez que o PBO é realizado no Nordeste do País.

Além de Etiene, disputam o prêmio Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Kahena Kunze e Martine Grael (vela), Ketleyn Quadros (judô), Luisa Stefani e Laura Pigossi (tênis), Rayssa Leal (skate) e Rebeca Andrade (ginástica artística). 

O Prêmio Inspire é sobre inspirar outras mulheres e atletas a correrem atrás dos seus objetivos. Visa celebrar atletas que superaram adversidades - seja dificuldades durante a pandemia da Covid-19, lesões, pouca idade, entre outros fatores - e se mantiveram firme em busca de resultados pessoais. 

"Entre as indicadas, cada uma tem uma história. Cada uma tem seus títulos. Mas, falamos uma língua só, de estar inspirando e sendo exemplo para outras meninas. Fico muito honrada em estar entre essas mulheres que fizeram e fazem a diferença no esporte feminino. Algumas mais novas, outras mais velhas. Mas que fizeram sua parte para que mais meninas venham aí, com força e motivação", destaca Etiene.
 

"O Projeto Inspire não é só falar sobre esporte, mas também aborda questões sociais do nosso dia a dia, como atleta e cidadã, em um mundo tão machista, tão adverso. O Projeto e o Prêmio, não são apenas sobre medalhas, mas sobre propósito. O que a gente faz fora da piscina, do mar ou do ginásio. É o método de pensar que não somos somente atletas e como a gente pode fazer diferença fora do ambiente competitivo", complementa a nadadora.

O Prêmio Inspire é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro, a Riachuelo e a Golden Goal. O projeto, que leva o nome Inspire, exalta o caminho que cada atleta percorreu dentro ou fora do esporte. 

"Para mim, este ano foi muito desafiador. Não só no quesito atlético, esportivo, mas no quesito social. Estar distante de todo mundo, sem saber o dia de amanhã. O planejamento, se vai competir. Aí, um colega pega a Covid. E é muito complicado levarmos questões esportivas separado do que estamos vivendo. Várias vezes a gente esquece que o momento atual é realmente difícil. Querendo ou não, se mistura demais com nossa carreira esportiva. É um reflexo. Todos nós, quem foi ou não para a Olimpíada, é vitorioso. Quem batalhou, quem conseguiu medalha. Todos numa linha idêntica, de propósito e de mostrar o melhor", avalia a pernambucana.

"Eu finalizo o ano com uma cirurgia no joelho, que para mim vem com muitas questões de mostrar que a vida nem sempre é aquilo que a gente pensa. E nem é como a gente quer que saia. Então, têm muitas reflexões. Fato é que o ano de 2021 foi muito desafiador e repleto de reflexões", finaliza a nadadora de 30 anos de idade.

Veja também

Nome do Robinho sai no BID, mas Timbu segue sem quarteto regularizadoFutebol

Nome do Robinho sai no BID, mas Timbu segue sem quarteto regularizado

Parado na Lei Seca, Adriano Imperador se recusa a fazer teste do bafômetroRio de Janeiro

Parado na Lei Seca, Adriano Imperador se recusa a fazer teste do bafômetro