Infantino quer proibição de acesso a estádios para torcedores por racismo

Presidente da FIFA pretende impossibilitar entrada de racistas em estádios do mundo inteiro

Presidente da Fifa, Gianni InfantinoPresidente da Fifa, Gianni Infantino - Foto: JACK GUEZ/AFP

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, defendeu nesta quinta-feira uma proibição mundial de acesso aos estádios para os torcedores culpados de atos racistas, três dias depois dos incidentes durante a partida Bulgária-Inglaterra.

"Isto (o racismo) lamentavelmente existe em 2019", reconheceu em uma coletiva de imprensa em Daca, Bangladesh. Na segunda-feira, a partida de classificação para a Eurocopa-2020 entre Inglaterra e Bulgária em Sofia teve que ser interrompida em duas ocasiões devido a atos racistas contra jogadores negros ingleses.

"Se são cometidos atos racistas contra os jogadores, devemos interromper a partida", disse Infantino. "Não podemos deixar que as pessoas racistas vençam. O futebol tem que continuar e nós temos que punir essas pessoas".

Leia também: 

Jogador brasileiro é vítima de racismo e jogo é paralisado na Itália

Zenit vê má interpretação em caso de racismo contra Malcom

Seleção inglesa pode abandonar jogos em caso de racismo

Goleada inglesa é manchada por racismo da torcida da Bulgária 

O ítalo-suíço garantiu que agora é fácil identificar os autores destes atos, graças às câmeras nos estádios. "É preciso pegá-los, expulsá-los dos estádios, não deixá-los entrar mais e abrir processos judiciais contra eles", pediu. Se um país proíbe a entrada nos estádios a um espectador por racismo, o presidente da Fifa assegurou que a sanção "será estendida a todo mundo" pelo organismo mundial do futebol.

Seis búlgaros foram detidos após o jogo entre Bulgária e Inglaterra que foi disputado na segunda-feira e manchado por gritos de 'macaco' e saudações nazistas, enquanto outros três são procurados. Um búlgaro de 18 anos foi acusado e outros quatro torcedores receberam uma multa e uma proibição de frequentar estádios durante dois anos.

Infantino condenou na terça-feira os incidentes, denunciando uma "doença que parece piorar em certas partes do mundo" e dando prioridade à "educação de nossos jovens, de nossas crianças assim como dos que são um pouco mais velhos" para combater o racismo.

 

Veja também

Pernambucanos vencem potiguares e sobem na tabela, na Série D
Série D

Pernambucanos vencem potiguares e sobem na tabela, na Série D

Bayern vence Dortmund e conquista Supercopa da Alemanha
Futebol Internacional

Bayern vence Dortmund e conquista Supercopa da Alemanha