Santa Cruz

Itamar Schulle lamenta terceira eliminação nos pênaltis

Com a derrocada diante do Salgueiro, a Cobra Coral chegou a três eliminações por penalidades no ano

Itamar Schulle, técnico do Santa CruzItamar Schulle, técnico do Santa Cruz - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Depois de “nadar e morrer na praia”, o Santa Cruz terá três dias para refletir erros e acertos na partida dessa quarta, no Arruda, contra o Salgueiro. Também, três dias para absorver o vice-campeonato estadual, e encontrar um respiro para mudar a chave, de olho, exclusivamente, na Série C do Campeonato Brasileiro, com início no próximo sábado (08). 

Após o empate em 0x0 no tempo regular contra o Carcará e queda nos pênaltis, o técnico Itamar Schulle respondeu a uma pergunta feita pela assessoria do clube e se esvaiu. Ainda tentando encontrar respostas para explicar como o jogo foi desenhado junto ao comportamento da equipe em campo. 

“Tivemos oportunidades, tivemos chances. A conclusão, o passe, talvez precisasse de um pouco mais de calma. Mas, fomos superior, tivemos posse de bola, finalizamos mais. Fizemos uma jogada trabalhada de saiu esse gol (anulado), a gente tentou fazer o possível. Mesmo com tudo isso, tentamos fazer as trocas dentro daquilo que nós temos no momento, no Santa Cruz. A qual, a gente fala desde o início da necessidade de algumas peças, às vezes improvisamos por isso. Mas o grupo está de parabéns. Estamos fazendo o nosso melhor”, destacou o treinador.
 

Esta foi a terceira eliminação da Cobra Coral nos pênaltis em 2020. A primeira, aconteceu pela Copa do Brasil. Desfalcado, sem poder contar com uma das principais peças da equipe, Pipico, o time ficou no empate em 1x1 no tempo normal com o Atlético/GO, em Goiânia, e foi desclassificado por 4x3 nas penalidades. Quatro meses depois, outra queda em decisões por pênaltis, dessa vez, pela Copa do Nordeste, ante o Confiança (4x2). E mais uma vez nessa quarta, contra o Carcará do Sertão. 

“Infelizmente, em todas as competições nós fomos eliminados nos pênaltis, tanto na Copa do Brasil e na Copa do Nordeste, como também agora no Campeonato Pernambucano. É isso que a gente lamenta. Não fomos eliminados dentro do campo jogando, mas sim, em cobranças de pênaltis, e não é por falta de treino. A gente treina bastante, os atletas treinam bastante e as opções de penalidades são feitas conforme os treinamentos”.

Assim como na eliminação para o Confiança nas quartas de final da Copa do Nordeste, Schulle também saiu em defesa dos atletas que desperdiçaram as cobranças. Nesse caso, ante o Salgueiro, o centroavante Victor Rangel e o jovem volante André. 

“Eu não posso colocar gente para bater pênalti que não treina. Os que treinam tem um aproveitamento muito bom, outros dias fizeram. A gente não pode agora querer crucificar aqueles que erraram hoje, porque no passado fizeram. No jogo contra o Confiança, muitos criticaram Maycon. Ele pegou dois contra o Náutico. Assim é o futebol. A gente tem que estar sempre acreditando, dando sempre a confiança para os atletas, trabalhando bastante para que todos nós possamos evoluir naquilo que é necessário”. 

O próximo compromisso do Santa Cruz será no próximo sábado (08), às 17h, na Curuzu, em Belém-PA, contra o Paysandu. O jogo marca a estreia do Tricolor na Série C do Campeonato Brasileiro, competição pelo terceiro ano consecutivo disputada pelo clube. 

Veja também

Keno marca três, Atlético-MG bate o Atlético-GO e vira líder
Série A

Keno marca três, Atlético-MG bate o Atlético-GO e vira líder

Buscando se distanciar do Z4, Sport recebe Flu, na Ilha
Campeonato Brasileiro

Buscando se distanciar do Z4, Sport recebe Flu, na Ilha