Jade Barbosa tem lesão grave no joelho e fica fora das Olimpíadas de Tóquio

A atleta teve diagnosticada uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito e terá que ser submetida a cirurgia

Ginasta Jade BarbosaGinasta Jade Barbosa - Foto: Reprodução/Instagram

Jade Barbosa está fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano que vem. Ginasta mais experiente da seleção feminina que foi ao Mundial de Stuttgart (Alemanha), a atleta do Flamengo teve diagnosticada uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito e terá que ser submetida a cirurgia. Ela se machucou ao competir no salto, primeiro aparelho da apresentação da equipe brasileira.

A lesão é a mesma sofrida em junho por Rebeca Andrade, principal nome da ginástica brasileira feminina na atualidade e colega de clube de Jade Barbosa. Na ocasião, o médico Rodrigo Sasson, do Comitê Olímpico do Brasil (COB), apontou um prazo de seis meses para ela volta a treinar e de oito para voltar a competir.

Este prazo inviabiliza o retorno de Jade à ginástica à tempo de participar do Campeonato Pan-Americano de maio do ano que vem, última possibilidade de classificação de uma atleta individualmente para a Olimpíada. O Pan distribuiu apenas vagas pelo individual geral, o que obrigaria a veterana a se apresentar nos quatro aparelhos, sobrecarga perigosa para um joelho recém-operado.

Leia também:
Seleção masculina vai bem no Mundial de ginástica e fica perto de Tóquio
Seleção feminina derrota Polônia por 3x1 em amistoso
Andy Murray jogará Aberto da Austrália em 2020


Aos 28 anos, Jade já prolongou a carreira além do que o usual na ginástica de alto-rendimento, superando uma trajetória no esporte marcada por lesões. Nos últimos anos, seu corpo a deixou na mão em momentos chaves: Jade foi cortada por lesão antes dos Mundiais de 2013 e 2014 e do Pan de 2019, saiu de cadeira de rodas da final olímpica de 2016, não participou do Mundial de 2017 porque estava lesionada e agora se machucou na primeira apresentação do Mundial Pré-Olímpico.

Sem pode contar com Jade, Rebeca e Carolyne Pedro, todas machucadas, e com Lorrane Oliveira competindo só nas assimétricas, também por causa de lesão, o Brasil foi só 14º colocado por equipes no Mundial e não conseguiu uma das 12 vagas olímpicas por equipes.

Finalista de dois aparelhos e no individual geral, Flávia Saraiva tem vaga nominal em Tóquio. Outras vagas podem ser buscadas pelo ranking da Copa do Mundo em cada um dos aparelhos e pelo Pan-Americano do ano que vem, quando a tendência é Rebeca Andrade estar de volta e conseguir sua vaga.

Veja também

Santa Cruz define como chapa da situação Antônio Luiz Neto, para presidência do clube
Santa Cruz

Santa Cruz define como chapa da situação Antônio Luiz Neto, para presidência do clube

Brocador fica fora da relação pela segunda vez seguida no Sport
Sport

Brocador fica fora da relação pela segunda vez seguida no Sport