Futebol

Jean Carlos é denunciado por tentativa de agressão à árbitra Deborah Cecília

Ato aconteceu no segundo jogo da final do Campeonato Pernambucano, entre Retrô e Náutico, na Arena de Pernambuco

Jean Carlos, meia do NáuticoJean Carlos, meia do Náutico - Foto: Alexandre Aroeira/Folha de Pernambuco

O meia Jean Carlos, do Náutico, será julgado na próxima segunda (16) pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco pela confusão envolvendo a árbitra Déborah Cecília, na final do Campeonato Pernambucano, no dia 30 de abril, contra o Retrô, na Arena de Pernambuco. O atleta foi denunciado pela expulsão (em cotovelada desferida no volante Yuri Bigode) e, de acordo com o que foi relatado na súmula pela profissional do apito, "tentativa de agressão", após receber o cartão vermelho. O atleta pode pegar uma suspensão de até três meses.

Jean foi denunciado no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que pune quem "praticar jogada violenta". Pela expulsão, o atleta pode pegar um gancho de quatro a 12 partidas - a serem cumpridas no Campeonato Pernambucano do ano seguinte, sob a acusação de  "praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente". Já pela suposta tentativa de agressão à arbitra, a punição pode ser de 90 dias (metade de 180 dias, pena máxima), com efeito imediato, encaixando-se na situação do artigo 157 do CBJD, que cita infração "tentada, quando, iniciada a execução, não se consuma por circunstâncias alheias à vontade do agente". No parágrafo um, é reforçado que "salvo disposição em contrário, pune-se a tentativa com a pena correspondente à infração consumada, reduzida da metade".

Vale citar que a árbitra Debora Cecília relatou na súmula a situação, reforçando o argumento de que o jogador tentou agredi-la.  "Aos 22 minutos do primeiro tempo expulsei com cartão vermelho direto o senhor Jean Carlos Vicente, número 10 da equipe do Náutico, por desferir uma cotovelada fora da disputa da bola no rosto do seu adversário (...) Após eu ter apresentado o cartão vermelho direto, o jogador expulso partiu em minha direção na tentativa de me agredir, sendo contido pelo árbitro assistente Clóvis Amaral, e por seus companheiros de equipe, além disso relutou a sair do campo de jogo, sendo retirado por seus próprios companheiros de equipe", escreveu. Jean, por outro lado, reforçou que o movimento foi para mostrar o que ele tinha feito com Yuri e não uma tentativa de agressão.

Veja também

Brasil fica com segundo lugar geral em medalhas em Olimpíadas Estudantis
Olimpíadas Estudantis

Brasil fica com segundo lugar geral em medalhas em Olimpíadas Estudantis

Tandara se defende de suspensão por doping: "Condenada por algo que não fiz"
doping

Tandara se defende de suspensão: "Condenada por algo que não fiz"