Jogadora de vôlei do Fluminense acusa taxista de agressão no Rio

Homem teria lhe dado socos e chutes após reclamar que ela demorava a partir no sinal verde

Jarbas foi um dos primeiros a declarar-se favorável à denúnciaJarbas foi um dos primeiros a declarar-se favorável à denúncia - Foto: Arthur mota

A jogadora de vôlei do Fluminense Luciana Severo, 44, diz ter sido agredida por um taxista após uma discussão no trânsito no Rio. O caso ocorreu na última quinta-feira (20), em Ipanema, zona sul da cidade, e foi levado à 14ª Delegacia de Polícia.

Em uma rede social, Severo diz que o taxista lhe deu socos e chutes após reclamar que ela demorava a partir no sinal verde. "Parei meu carro no sinal vermelho na rua Maria Quitéria e este cara estava atrás. Quando o sinal ficou verde, enquanto eu engrenava a marcha e descia o freio de mão, ele, aos berros, me insultava", narrou.

Ela diz que chegou a entrar em outra rua para deixar o táxi passar, mas foi seguida. "Abri a porta e desci para ele visse que eu era uma mulher. Quando saí do carro, ele me peitou e me deu um soco", diz ela, contando que caiu no chão e as agressões continuaram.

Severo afirma que as agressões lhe quebraram o nariz e um dedo. Ela reclama ainda que o agressor foi solto pela polícia, apesar do flagrante.

Veja também

Marcos Vinícius é regularizado e pode estrear diante do Cruzeiro
Futebol

Marcos Vinícius é regularizado e pode estrear diante do Cruzeiro

Pela Série D, Central vence mais uma, e Salgueiro leva empate no fim
Série D

Pela Série D, Central vence mais uma, e Salgueiro leva empate no fim