Juíza nega recurso de Marin e mantém todas acusações contra ex-chefe da CBF

O ex-presidente da CBF terá de responder por todos os crimes que foi acusado

O ex-presidente da CBF José Maria Marin sofreu uma derrota na justiça dos Estados Unidos na semana passada e terá de responder por todos os crimes que foi acusado inicialmente. De acordo com o jornal "New York Daily News", a juíza Pamela K. Chan, do Tribunal Federal do Brooklyn, recusou o recurso apresentado pela sua defesa que visava anular a acusação mais grave contra ele, que diz respeito a associação com outros integrantes da Fifa.

Caso o recurso fosse aceito, Marin responderia por crimes menos graves e consequentemente pegaria uma pena menor em caso de condenação.
O cartola foi preso no dia 27 de maio de 2015 em Zurique, na Suíça, acusado de participar de um mega esquema de corrupção na Fifa, na Conmebol e na CBF. Em novembro foi extraditado para os Estados Unidos onde está vivendo em prisão domiciliar.

O julgamento de Marin deverá começar em novembro deste ano nos Estados Unidos.
A juíza também recusou o recurso apresentado por Juan Angel Napout, ex-presidente da Conmebol. A defesa queria que fossem derrubadas todas acusações contra ele.

Veja também

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico
Futebol

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'
Opinião

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'