Júlio César valoriza setor defensivo do Santa Cruz

Goleiro do Santa falou sobre a consistência da defesa tricolor no início do ano

Goleiro Júlio César praticando defesa no Clássico das MultidõesGoleiro Júlio César praticando defesa no Clássico das Multidões - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O começo de 2017 tem sido bom para o Santa Cruz. Invicto, o time tricolor tem chamado a atenção pelos poucos gols tomados e a raça demonstrada dentro de campo, mesmo com um elenco remodelado.

O goleiro Júlio César, destaque no Clássico das Multidões contra o Sport, foi considerado o craque da partida. Porém, o arqueiro valorizou também o trabalho do setor defensivo no jogo e ao longo do ano. "Acho que quando o goleiro não toma gols ou toma poucos, todo mundo é responsável por isso. A gente tem dado poucas chances não só para o Sport mas para as outras equipes", comentou.

E Júlio tem razão. No ano, em oito jogos, foram apenas cinco gols tomados, contabilizando também a Taça Asa Branca, contra o Paysandu. Além disso, o time coral tem 0,63 de média de gols sofridos por jogo. Apenas no confronto contra o Central o arqueiro viu sua rede balançar mais de uma vez.

Para se ter uma ideia, em 2016, no mesmo período, o Santa Cruz havia levado quase o dobro de gols que neste ano.

De acordo com Júlio, um os fatores que contam a favor desta boa fase e defesa forte do Tricolor é a raça dos atletas em campo. No no jogo contra o Sport por exemplo, mesmo com um a menos, o time foi buscar o empate. "A gente sabe que o Santa Cruz é um time de superação, de torcida, de massa. E tem que ser essa identidade. O jogador pra jogar em uma equipe assim tem que se identificar com o clube, e estamos nos identificando", encerrou.

O próximo compromisso do Santa Cruz será no sábado (20), contra o Uniclinic-CE, no Presidente Vargas, em Fortaleza, pela Copa do Nordeste.

Veja também

Vazam imagens das possíveis novas camisas do Sport
Sport

Vazam imagens das possíveis novas camisas do Sport

Proibido 80 anos atrás, futebol feminino no Brasil evolui e busca recuperar atraso
Futebol feminino

Proibido 80 anos atrás, futebol feminino no Brasil evolui e busca recuperar atraso