Lanterna, Pernambuco tenta salvar 2016

Com o Estado na última posição entre representantes da Série A, Santa Cruz e Sport seguem lutando para evitar que situação piore

Filme "Sully - O Herói do Rio Hudson poster"Filme "Sully - O Herói do Rio Hudson poster" - Foto: Divulgação

Credenciado por uma campanha histórica no ano passado, quando terminou em sexto lugar, obteve o seu melhor desempenho na era dos pontos corridos, desde 2003, e assim quase beliscou uma vaga na Libertadores, o Sport ganhou para o Brasileirão 2016 a companhia de um embalado Santa Cruz, que vinha com o status de então vice-campeão da Série B. Por parte dos pernambucanos, o otimismo era latente para um excelente ano na elite nacional. Porém, 27 rodadas depois e muitas decepções, a dura realidade bateu à porta e o que se vê hoje é Pernambuco ocupando a lanterna no ranking por estados nesta Série A. Com as fracas campanhas do Leão, 13º colocado, e da Cobra Coral, vice-lanterna, são apenas 34,55% de aproveitamento dos pontos conquistados. A situação poderia ser ainda pior, já que as duas equipes chegaram a ocupar a zona de rebaixamento ao mesmo tempo em algumas rodadas do certame.

No caso do Santa Cruz, há a decepção de o time ter chegado a liderar a competição na terceira rodada. Embalado pelas conquistas do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste, o time, liderado por Milton Mendes à época, chegou a empolgar os tricolores, que sonharam alto. Em queda livre, a Cobra Coral possui a pior campanha se consideradas apenas as dez últimas etapas do Brasileirão, com apenas seis pontos conquistados, obtendo apenas 20% de aproveitamento. Já o Sport pecou pela irregularidade durante toda a disputa. Largou muito mal, conseguiu uma sequência de seis jogos invictos ao final do primeiro turno e depois caiu novamente. Aos trancos e barrancos, o Leão vai conseguindo escapar da tão temida degola.

No total, dos 26 estados, mais o Distrito Federal, apenas oito estados possuem clubes na Primeira Divisão, com São Paulo sendo o de maior representatividade, com cinco clubes, seguido por Rio de Janeiro e Minas Gerais, com três de cada. No terceiro pelotão, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, todos com duas agremiações. A Bahia é o único que possui apenas um representante, o Vitória. Como grande surpresa vem o Rio de Janeiro na liderança, com Flamengo, Fluminense e Botafogo ocupando a primeira página da classificação. Marca forte no quesito tradição, os times cariocas são conhecidos pela falta de organização e estrutura. Assim, as quedas para a Série B, que eram raras, tornaram-se cada vez mais frequentes no futebol da Cidade Maravilhosa nos últimos anos.

Uma situação curiosa é a que acontece em Minas Gerais. Enquanto América/MG e Cruzeiro enfrentam a inglória luta de escapar do rebaixamento e puxam o estado para baixo, o Atlético/MG ocupa a terceira colocação, ainda sonha com o título e consegue melhorar a situação dos mineiros, que ocupam a sexta colocação no ranking. Situação semelhante vive o Rio Grande do Sul, quinto colocado. Enquanto o Internacional se afunda na zona da degola, o Grêmio está na oitava posição e segue sua caçada ao G4. O fato curioso é que o Colorado chegou a liderar o Brasileirão até a oitava rodada e ficou entre os quatro primeiros até a 12ª etapa. Duas trocas de treinador e 15 rodadas depois é o 17º colocado e corre sério risco de rebaixamento.

Veja também

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C
Futebol

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19
Futebol

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19