LBF: Uninassau/Cabo joga por mando de quadra no playoff

Time pernambucano enfrenta o Blumenau/SC, às 19h desta quinta (27), fora de casa, no encerramento do 2º turno

Time da Uninassau em ação pela LBF 2019Time da Uninassau em ação pela LBF 2019 - Foto: Robson Neves/Divulgação

Após vencer o último time ainda invicto na Liga de Basquete Feminino (LBF) 2019, o Vera Cruz/Campinas/SP, terça-feira (25), a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho quer aproveitar o embalo na noite desta quinta-feira (27), quando enfrenta o Blumenau/SC, fora de casa, no encerramento do returno da fase classificatória do certame.

O duelo está marcado para as 19h, no ginásio Sebastião Cruz, na cidade catarinense. A equipe pernambucana ocupa atualmente a quarta colocação, com 27 pontos e 58.8% de aproveitamento. A posição, no entanto, é dividida com o próprio Blumenau e com o Sesi/Araraquara/SP, ambos com campanhas exatamente iguais à da Uninassau/Cabo de Santo Agostinho, que leva vantagem pelo saldo de pontos pró e contra.

Esse equilíbrio torna fundamental uma vitória esta noite. Isso porque os quatro primeiros colocados terão mando de quadra na fase de quartas de final, quando o formato de disputa passará a ser mata-mata, com séries melhores de três jogos. O jogo entre Blumenau e Uninassau/Cabo de Santo Agostinho é um confronto direto, enquanto o Sesi/Araraquara jogará contra o frágil Sorocaba/SP, que venceu somente três jogos na temporada.

Caso vença esta noite, o time pernambucano muito provavelmente confirmará a quarta posição, uma vez que o Sesi/Araraquara até pode igualar a campanha, mas tem mais de 50 pontos de saldo para tirar. Se realmente garantir o quarto lugar, a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho enfrentará o quinto colocado, que será justamente Blumenau ou Sesi/Araraquara, com o benefício de fazer dois dos três jogos no Recife. Se perder, no entanto, pode terminar até em sexto lugar, podendo pegar o Santo André/SP, terceiro colocado, no mata-mata.

O Blumenau, assim como a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho, ganhou reforços importantes durante o segundo turno da Liga. A chegada da ala-pivô norte-americana Allazia Blockton e o retorno após lesão da ala venezuelana Waleska Perez encorparam o time e o deixaram mais perigoso, sobretudo nos arremessos de fora do perímetro. Em apenas seis jogos, por exemplo, Allazia já se tornou a terceira maior pontuadora de Blumenau nesta LBF.

“Vai ser um jogo difícil. Elas têm essas jogadoras muito fortes na finalização, além de Gil e Tássia, que conhecemos a qualidade – ambas jogaram no Recife na temporada passada. Mas é um time contra o qual podemos utilizar a estatura que temos com Érika e Fabi. Temos que fazer um jogo de muita defesa, com atenção aos rebotes e fazendo a transição funcionar nos contra-ataques”, apontou o técnico da equipe pernambucana, Roberto Dornelas. No primeiro turno, com Blumenau sem Allazia e Uninasau/Cabo de Santo Agostinho sem Érika, Isabela Ramona e Brittany Starlling, deu Uninassau, que venceu por 86x75.

É importante frisar, independente da posição final nesta fase classificatória, a mudança de patamar do time do Estado, que ocupava a penúltima posição ao término do primeiro turno, com apenas três vitórias, e renasceu no returno. Na segunda metade da Liga, a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho sofreu um único revés até o momento, diante do Santo André/SP, no Recife, no último dia 12 de junho.

Veja também

Algoz de Vasco e Bahia, Defensa y Justicia conquista Copa Sul-Americana
Futebol

Algoz de Vasco e Bahia, Defensa y Justicia conquista Copa Sul-Americana

Confira a vitória do Flamengo sobre o São Paulo por 79 a 71 na final da Copa Super 8
Basquete

Confira a vitória do Flamengo sobre o São Paulo por 79 a 71 na final da Copa Super 8