Léo Moura chega para assinar com Grêmio em busca de 'título da vida'

Lateral direito assinará contrato de um ano com o tricolor gaúcho

Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio FolhaPrefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio Folha - Foto: Alfeu Tavares / FolhaPE

Léo Moura chegou a Porto Alegre para realizar um sonho: conquistar a Libertadores. O lateral direito de 38 anos realizará exames e assinará por um ano com o Grêmio. "É o título que falta para mim. Ganhei muito no Flamengo, mas me falta a Libertadores. É uma oportunidade que Deus coloca na minha vida com 38 anos, de conquistar a Libertadores, quem sabe será o título da minha vida", disse no aeroporto Salgado Filho.

A negociação para chegada dele teve participação direta de Renato Gaúcho e Valdir Espinosa. Técnico e coordenador do Grêmio são amigos pessoais do lateral e confiam nele para auxiliar na disputa da competição continental. "Falei com Renato e Espinosa desde o final do ano passado. As conversas foram aumentando e agora mais para o final do ano o pessoal do Grêmio finalizou tudo e estou aqui", comentou.

A idade avançada não preocupa. Léo disputou 43 jogos pelo Santa Cruz, sendo 33 dos 38 do Brasileiro. "Estou magrinho. Graças a Deus em todos os times que joguei sempre me preparei bem e consegui jogar. Joguei 33 partidas no Brasileiro, não é fácil não", disse.

Depois de sair do Flamengo, em 2009, o jogador rodou por vários clubes. Atuou nos Estados Unidos e na Índia, além do Santa Cruz e do Metropolitano-SC. O Grêmio é a retomada das participações em uma equipe grande. "Estou muito feliz, eu trabalhei muito para voltar a uma equipe de ponta, agora é retribuir a confiança que o Grêmio está depositando em mim", finalizou.

Veja também

No Paraná, jogadores são afastados após suspeita de fraude em teste de Covid
Futebol

No Paraná, jogadores são afastados após suspeita de fraude em teste de Covid

Presidente da UEFA diz que semifinais da Liga dos Campeões não estão ameaçadas
Futebol Internacional

Presidente da UEFA diz que semifinais da Liga dos Campeões não estão ameaçadas