Liberado pela Justiça, goleiro Bruno é anunciado reforço do Poços de Caldas

O time mineiro já havia feito um acerto prévio com o jogador, mas aguardava liberação da Justiça para o anúncio oficial

Goleiro Bruno não vai mais jogar pelo Operário-MTGoleiro Bruno não vai mais jogar pelo Operário-MT - Foto: TJMG Divulgação

O goleiro Bruno Fernandes, 34, condenado em 2013 pelo assassinato de Eliza Samudio e atualmente no regime semiaberto, foi anunciado nesta terça-feira (27) como novo reforço do Poços de Caldas FC (MG).

O time mineiro já havia feito um acerto prévio com o jogador, mas aguardava liberação da Justiça para o anúncio oficial. A nova equipe do ex-goleiro do Flamengo só irá disputar competição oficial no ano que vem, a terceira divisão do estadual, mas já atua na montagem do elenco.

Bruno cumpre pena de 20 anos e 9 meses pelo assassinato da ex-namorada Eliza, ocorrido em 2010. Inicialmente, ele fora condenado a 22 anos e 3 meses, mas teve a pena reduzida em 2017, pela prescrição do crime de ocultação de cadáver.

Leia também:
Justiça autoriza volta do goleiro Bruno ao regime semiaberto
Clube de MG contratará goleiro Bruno, condenado por homicídio

Em julho deste ano, Bruno foi autorizado voltar ao regime semiaberto, direito concedido a ele pela primeira vez em outubro de 2018, mas perdido após ele ser filmado, pela TV Alterosa (afiliada do SBT em Minas), tomando cerveja acompanhado de mulheres em horário que deveria estar trabalhando.

Em fevereiro de 2017, o ex-goleiro conseguiu um habeas corpus e assinou com o Boa Esporte, de Varginha (MG), na região sul do estado, onde cumpre pena. Depois de dois meses, o Tribunal de Justiça decidiu que ele deveria voltar à prisão.

Veja também

Com emoção e recorde da pista, Hamilton conquista a pole do GP da Rússia
Fórmula 1

Com emoção e recorde da pista, Hamilton conquista a pole do GP da Rússia

Alerta da OMS de possíveis 2 milhões de mortos pela covid-19 não impede sonho olímpico do Japão
Olimpíadas

Alerta da OMS de possíveis 2 milhões de mortos pela covid-19 não impede sonho olímpico do Japão