A-A+

Liga das Nações: Brasil faz 3x0 na China em estreia

Seleção venceu uma desfalcada China com parciais de 25/15, 25/21 e 25/21 , nesta terça (21), em Brasília

Lance de Brasil x China, na estreia da Liga das Nações 2019Lance de Brasil x China, na estreia da Liga das Nações 2019 - Foto: Divulgação/FIVB

A seleção brasileira feminina de vôlei somou seus primeiros pontos na Liga das Nações 2019 ao bater a China por 3 sets a 0 (parciais de 25/15, 25/21 e 25/21), na noite desta terça-feira (21), em Brasília. Foi a estreia de ambas as equipes na disputa, que, embora tenha seu valor, não é o compromisso principal do ano.

Como o calendário desta temporada está muito apertado
, com pré-olímpicos, Copa do Mundo, entre outros eventos, e a Liga das Nações começou pouco depois de encerrados os principais campeonatos nacionais e continentais ao redor do mundo, as equipes não exibem suas atletas mais renomadas nestas semanas iniciais da Fase de Classificação.

Por isso, será comum ver placares atípicos por enquanto, a exemplo da primeira vitória da história da República Dominicana em cima da Rússia por 3x1, na partida que antecedeu o jogo do Brasil, no Grupo 3 desta semana. As dominicanas são as adversárias das brasileiras nesta quarta-feira (22), em partida marcada para às 20h. Antes, jogam Rússia e China. 

"Estou muito feliz de ter ajudado a equipe. A gente jogou junto, todo mundo fez a sua parte. Agora vamos descansar um pouco e amanhã (quarta-feira) estudar as dominicanas", disse a oposta Paula Borgo, um dos destaques da partida, com 16 pontos. A maior pontuadora, no entanto, foi a ponta Gabi, com 17 acertos.

Jogo
Pelo lado brasileiro, o principal destaque foi a presença da levantadora Macirs, eleita a melhor atleta da última Superliga, entre as titulares. Essa era uma reivindicação antiga de muitos críticos e também de fãs da modalidade. Campeã nacional com o Itambé/Minas, ela teve ao seu lado outras três companheiras de time: a ponteira Gabi, a central Mara e a líbero Leia.

Completaram o grupo titular a ponta Amanda, a central Bia e a oposta Paulo Borgo, que fez sua estreia como titular na seleção principal. Ela herdou a vaga após Bruna Honório, considerada a reserva imediata de Tandara nesse início de temporada, ser afastada por conta de um tumor no coração.

Pelo lado chinês, um time quase C. Atual campeã olímpica, a seleção asiática trouxe para o Brasil atletas jovens, ainda sem muita bagagem em eventos internacionais. Além de a Liga das Nações ainda estar no início, a China, por ser país-sede da Fase Final, já tem a classificação assegurada independente da campanha da Fase Classificatória. Por isso a opção de poupar o seu elenco principal de uma desgastante viagem nesse momento.

O Brasil jogou solto, sem sofrer pressão adversária no primeiro set. Dominou as ações e, ao final da parcial, com mais de dez pontos de vantagem, o técnico José Roberto Guimarães aproveitou para rodar as atletas. Além da inversão com a levantadora Roberta e a oposta Lorenne nas vagas de Paula Borgo e Macris, respectivamente, ele também promoveu a estreia da jovem Julia Bergmann, de apenas 18 anos, na seleção principal. Alemã de nascimento, a ponteira de 1,91 metro é considerada uma das principais promessas da nova geração nacional.

No set seguinte, Zé Roberto retornou com o time titular. Mais aquecida, a China equilibrou melhor as ações e chegou a liderar o placar pela primeira vez, em 7/8. Com a estreante Paula Borgo correspondendo bem sempre que acionada no ataque, a seleção reassumiu a liderança, mas, dessa vez, não se desgarrou no placar. As equipes trocaram pontos até a reta final da parcial, quando Paula Borgo comandou a arrancada para fechar em 25/21. 

As chinesas tentaram repetir na terceira parcial o desempenho do set anterior, mas foram as brasileiras que voltaram a mostrar superioridade, chegando a abrir oito pontos. A diferença larga, no entanto, acabou tirando a concentração das comandadas de Zé Roberto, que permitiram uma reação chinesa (21/18). Zé parou o jogo, chamou a atenção do time e elas responderam, fechando em 25/21 com um belo ataque de Gabi na saída da rede.  

Veja também

Danny Morais comenta sobre o rebaixamento do Santa Cruz: "Acreditava no acesso"
Santa Cruz

Danny Morais comenta sobre o rebaixamento do Santa Cruz: "Acreditava no acesso"

Bryan rompe o ligamento e não joga mais pelo Náutico em 2021
Desfalque

Bryan rompe o ligamento e não joga mais pelo Náutico em 2021