A-A+

Liga das Nações: brasileiras estreiam nesta terça (21)

Seleção feminina abre a edição 2019 da Liga das Nações contra a China, a partir das 20h, em Brasília

Seleção feminina de vôlei na Liga das Nações 2018Seleção feminina de vôlei na Liga das Nações 2018 - Foto: Divulgação/FIVB

Com um calendário recheado, a seleção brasileira feminina de vôlei abre a temporada internacional 2019 na noite desta terça-feira (21). O primeiro compromisso é a segunda edição da Liga das Nações, quem tem cinco semanas de jogos na Fase Classificatória e, na sequência, uma Fase Final com as cinco equipes de melhor campanha, além do país-sede dos jogos decisivos, no caso a China. O Brasil estreia em casa, fazendo os três jogos da semana de abertura do torneio em Brasília.

A primeira adversária desta edição será exatamente a última seleção enfrentada pelas brasileiras na Liga 2018: a China - que apesar de já classificada para a Fase Final, disputa essa primeira parte do torneio. Na ocasião, as asiáticas venceram por 3 sets a 0, com parciais de 25/18, 25/22 e 25/22, na partida que valeu a medalha de bronze. O confronto que abre a trajetória de ambas as equipes na Liga 2019 acontece a partir das 20h, com transmissão ao vivo do canal SporTV2. Nesta primeira semana, as brasileiras enfrentam ainda a República Dominicana, na quarta (22), e a Rússia, na quinta (23), ambos os confrontos também às 20h e com transmissão ao vivo.

“A China vem com um time que jogou o torneio de Montreux. É uma equipe está com bastante ritmo de jogo. A escola chinesa é muito boa. Sabemos da qualidade técnica e da velocidade da China. Para nós vai ser bom para nos adaptarmos a esse estilo. A expectativa é para uma boa partida. Vamos usar a Liga das Nações como preparação para a nossa principal competição do ano, que é o Pré-Olímpico”, disse o técnico José Roberto Guimarães.

Leia também:
Zé Roberto finaliza convocação da seleção feminina
Zé Roberto faz primeira convocação para a seleção
Minas vence Praia Clube e conquista a Superliga feminina

Há uma enorme expectativa para ver a seleção brasileira em quadra após o desgastante processo de convocação do elenco. Seis atletas pediram dispensa alegando motivos diversos - a levantadora Dani Lins, as centrais Thaisa e Adenízia, as líberos Camila Brait e Tássia e a ponteira Gabi Cândido. Com isso, levantou-se a possibilidade de um boicote ao técnico José Roberto Guimarães, que ocupa o posto de treinador da equipe desde 2003.

Fora isso, há certa curiosidade nas opções que serão feitas por ele dentro das peças disponíveis. Na rede, por exemplo, a levantadora Macris, campeã e eleita melhor atleta da última edição da Superliga, vive um momento nitidamente superior ao de Roberta, titular de José Roberto Guimarães nos últimos anos mesmo sob contestação. O mesmo acontece entre as líberos, tendo a novata Natinha feito excelentes apresentações, sobretudo na reta final da Superliga, na briga por uma vaga com Suelen e Léia. No meio da rede, as ausências de Thaisa e Adenízia e o retorno da veterana Carol Gattaz abrem uma disputa que promete ser interessante.

Este início de Liga das Nações será importante também para conhecer caras novas. Na saída da rede, Lorenne e Paula Borgo terão a chance de mostrar serviço com a camisa nacional, já que Tandara, titular absoluta, ainda se recupera de uma lesão sofrida durante a liga da China, na qual estava atuando, e Bruna Honório, cotada como principal substituta no momento, está afastada após a retirada de um tumor no coração. Já na ponta, Gabi e Natália seguem absolutas, porém, há de se prestar atenção nas jovens promessas para a posição, Tainara e Julia Bergmann, convocadas para a equipe Sub-20, que tem um Mundial em julho, e estreantes na seleção principal.

Liga das Nações
Vão participar da edição 2019 como times fixos: Brasil, China, Alemanha, Itália, Japão, Coreia do Sul, Holanda, Rússia, Sérvia, Tailândia, Turquia e Estados Unidos. Os times desafiantes serão Bélgica, República Dominicana e Polônia e mais a Bulgária, campeã da Challenger Cup, que vai substituir a Argentina, rebaixada em 2018. A cada uma das cinco semanas da Fase Classificatória, os países serão divididos em grupos para que, ao final desta etapa, todos tenham se enfrentado. A Fase Final, em Nanquim, na China, será entre os dias 3 e 7 de julho.

Agenda
Além da Liga das Nações, a seleção brasileira feminina de vôlei ainda tem pela frente o Pré-Olímpico, entre 2 e 4 de agosto, no Brasil, contra República Dominicana, Camarões e Azerbaijão; os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, de 7 a 9 de agosto; e a Copa do Mundo, no Japão, entre 14 e 29 de setembro. 

Veja também

Florentín lamenta erros e queda anímica do Sport em derrota para o Atlético-MG
Insatisfeito

Florentín lamenta erros e queda anímica do Sport em derrota para o Atlético-MG

Em nota, Roberto Fernandes lamenta rebaixamento: "os problemas foram maiores"
Santa Cruz

Em nota, Roberto Fernandes lamenta rebaixamento: "os problemas foram maiores"