Liga das Nações: com boa atuação, Brasil bate a Polônia

Seleção apresentou excelente volume de jogo contra os atuais campeões mundiais, neste domingo (2), vencendo por 3x1

Lance de Brasil 3x1 Polônia, pela Liga das Nações 2019Lance de Brasil 3x1 Polônia, pela Liga das Nações 2019 - Foto: Divulgação/FIVB

O Brasil enfrentou, neste domingo (2), o adversário mais complicado da primeira semana da Fase Classificatória da Liga das Nações 2019. Após vencer Estados Unidos (3x0) e Austrália (3x2), a seleção encerrou a passagem por Katowice, na Polônia, contra os donos casa. Em um jogo de excelente nível técnico, a seleção venceu por 3 sets a 1 (parciais de 22/25, 25/15, 25/21 e 25/17). O maior pontuador do confronto foi o ponteiro-passador Szalpuk, com 15 acertos. Do lado brasileiros, os destaques foram os ponteiros Lucarelli e Leal, com 13 e 12 pontos, respectivamente.

Com o resultado, o Brasil somou mais três pontos e foi a oito, figurando na zona de classificação à Fase Final, que contará apenas com os cinco primeiros colocados e os Estados Unidos, que serão sede da próxima fase do torneio. A Polônia tem cinco pontos e, no momento, está fora da disputa por medalhas. Na próxima semana, os brasileiros competirão pelo Grupo 7, sediado em Tóquio, no Japão. Por lá, enfrentará Irã, Japão e Argentina, nos dias 7, 8 e 9, respectivamente.

Enquanto a Polônia, atual campeã mundial, entrou na partida com um time misto, deixando o seu principal jogador, o ponteiro-passador Kubiak, no banco, a equipe brasileira levou à quadra o que tem de melhor entre os convocados para essa primeira semana do torneio. Marcelo Fronckoviak, que substitui o suspenso Renan Dal Zotto, escalou o Brasil com o levantador Cachopa, o oposto Wallace, os centrais Lucão e Isac, os ponteiros Leal e Lucarelli, e os líberos Thales e Maique em sistema de revezamento. Desse grupo, estima-se que apenas Cachopa deixe a titularidade quando o campeão olímpico Bruninho se juntar ao elenco. Vale ressaltar, contudo, as boas atuações de Cachopa durante a semana.

O Brasil apresentou um bom volume de jogo desde o set inicial. A derrota na primeira parcial aconteceu por um fator específico: a dificuldade em receber o saque flutuante da Polônia. Enquanto os adversários forçavam o serviço, a seleção passava e rodava com tranquilidade. A variação, contudo, causou um estrago. O time nacional, que vencia por 12/8, estacionou nos 13 pontos e viu os anfitriões embalarem, marcando sete pontos em sequência, e virando para 13/16. A seleção ainda tentou reagir, mas não conseguiu reverter a diferença.

No set seguinte, mais estruturada no passe, a equipe verde-amarela não bobeou. No que foi o melhor set do cubano naturalizado Leal com a camisa da seleção até aqui - ele estreou contra a Austrália -, o Brasil apresentou um vôlei de altíssimo nível, pontuando em todos os fundamentos. O mesmo aconteceu o terceiro e no quarto sets, com os brasileiros mantendo o bom ritmo mesmo quando o técnico da Polônia recorreu a Kubiak.

Veja também

Conmebol define datas de rodada tripla das Eliminatórias em outubro
Eliminatórias

Conmebol define datas de rodada tripla das Eliminatórias em outubro

Sem lesão, Sabino viaja e reforça Sport contra o Galo
Sport

Sem lesão, Sabino viaja e reforça Sport contra o Galo