Luan Polli assume meta marcada por sina no Sport

Confirmado como substituto de Maílson, goleiro é mais um a ganhar espaço no Leão, que convive com trocas pontuais e fixas no setor

Goleiro Luan Polli, do Sport, inovou ao investir em perfil no LinkedInGoleiro Luan Polli, do Sport, inovou ao investir em perfil no LinkedIn - Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife

Lesão de goleiro não é tão frequente no futebol. O Sport, contudo, foge ao padrão. Nos últimos anos, o Leão conviveu com trocas pontuais e até mesmo fixas após ser obrigado a mexer no camisa 1. Em 2019, mais uma vez o torcedor rubro-negro verá um estreante na meta: Luan Polli, substituto de Maílson, que lesionou o joelho direito. O nono arqueiro a ganhar espaço na década. Antes dele, uns se firmaram e outros não agradaram.

Dos oito nomes da lista, um ponto em comum: todos eram suplentes de Magrão, goleiro que vestiu a camisa do Sport de 2005 a 2019. Em 2011, por exemplo, Gustavo, que já foi titular do clube no passado, à frente do mesmo Magrão, era um dos reservas. Com a lesão do novo camisa 1 e de Saulo, atleta da base que ganhara espaço no elenco, o campeão pernambucano de 2006 atuou em duas partidas pelo Estadual antes de pendurar as chuteiras meses depois.

Ainda em 2011, outros dois nomes tiveram oportunidade no clube: Rodrigo Calaça e Paulo Rafael. O primeiro apareceu no time após uma fratura na mão de Magrão, jogando por sete partidas na Série B. O segundo atuou uma única vez na competição, no jogo contra o Goiás, por força de contrato - Calaça pertencia ao Esmeraldino.

Luiz Carlos, hoje defendendo as cores do Náutico, entrou uma única vez, na derrota do Sport para a Aparecidense/GO, na Copa do Brasil. Já Agenor fez 18 partidas pelo Leão. O goleiro chegou à Ilha do Retiro com a promessa de ser o sucessor de Magrão, fechando um contrato de três anos. Insatisfeito com a reserva, pediu para deixar o clube em 2018.

De 2010 a 2014, Saulo integrou a lista de goleiros do Sport - o jogador foi emprestado em 2015 ao ABC e ainda retornou ao clube em 2016. Viveu bons momentos pelo Leão após uma lesão de Magrão, mas com as vindas de Luiz Carlos e Danilo Fernandes, o prata da casa perdeu espaço e deixou o clube.

Da lista, dois nomes não somente aproveitaram o espaço deixado por Magrão como se firmaram no time titular. Em 2015, Danilo Fernandes foi um dos destaques da campanha do Sport na Série A, permanecendo na equipe mesmo após a recuperação do ídolo rubro-negro. Sua saída do Leão só aconteceu após sua transferência para o Internacional.

O caso mais recente é de Maílson. O prata da casa de 23 anos estreou em 2017 e logo chamou atenção do elenco. Assim como Danilo, ele ficou na meta rubro-negro após a recuperação de Magrão, assumindo oficialmente o número 1 com a saída do antigo titular.

Polli

Contratado em julho de 2018, Polli, de 26 anos, é formado pelo Flamengo e tem passagens por Figueirense, Boa Esporte-MG e Naxxar Lions, de Malta. Ele estava no time de aspirantes (sub-23) e só atuou pelo Sport no jogo diante do CSA, pela Taça dos Campeões.

Leia também:
Guto confirma Luan Polli como titular no gol do Sport
Mailson se lesiona e não joga mais pelo Sport neste ano

Veja também

Jair tem semana livre pra ajustes no Sport
Sport

Jair tem semana livre pra ajustes no Sport

Reincidência: atitudes do Flamengo irritam dirigentes de outras equipes
Futebol

Reincidência: atitudes do Flamengo irritam dirigentes de outras equipes