O Cruzeiro está na 17ª colocação e luta contra o rebaixamento na reta final da Série A
O Cruzeiro está na 17ª colocação e luta contra o rebaixamento na reta final da Série AFoto: Reprodução/Twitter

O Cruzeiro decidiu proibir seus jogadores de concederem entrevistas coletivas antes dos treinos na Toca da Raposa e ao saírem dos estádios após os jogos pelo Campeonato Brasileiro, no qual briga para não ser rebaixado.

"Vamos preservar os jogadores de qualquer contato que julgamos que possa ser ruim para o clube. Diante disso, neste jogo contra o CSA, depois contra o Vasco e Grêmio, eles não falarão com vocês", disse Valdir Barbosa, diretor de futebol.

Desta forma, os jogadores só falarão à beira do gramado após o jogo para o veículo detentor dos direitos de transmissão, mas passarão direto nas zonas mistas dos estádios. Segundo Valdir, a decisão foi tomada pela diretoria após a partida contra o Santos no sábado (23), em que o Cruzeiro acabou goleado por 4 a 1.

Leia também:
Grêmio goleia o Cruzeiro em Belo Horizonte
Polícia cumpre mandados de busca e apreensão na sede do Cruzeiro
Esposa de presidente 'demite' funcionária na sede do Cruzeiro

A medida adotada acontece dias depois de o técnico Abel Braga ficar em uma saia justa ao ser perguntado sobre a situação de Thiago Neves. Após a partida contra o Santos, o meia revelou estar jogando no sacrifício, com dores em vários locais, mas que não poderia deixar de jogar quando escalado.

O comandante revelou surpresa com a declaração do atleta. Gestor de futebol, Zezé Perrella também disse não saber sobre a situação clínica ruim do camisa 10. Além dos três jogos citados por Barbosa, o Cruzeiro ainda terá duelo com o Palmeiras nesta reta final do Brasileiro. A equipe celeste soma 36 pontos, na 17ª colocação, que abre a zona de rebaixamento -o time imediatamente acima é o Ceará, com 37.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: