Entrevistados em pesquisa apontam o Brasil como favorito
Entrevistados em pesquisa apontam o Brasil como favoritoFoto: Lucas Figueiredo/CBF

 

Pesquisa Datafolha realizada na semana passada mostra que 48% dos entrevistados apontam o Brasil como favorito ao título da Copa do Mundo da Rússia.

Leia também:
Desinteresse com a Copa bate recorde e atinge 53% no País
Às vésperas da Copa, verde e amarelo ainda estão contidos

Esse percentual, porém, já foi bem maior, por exemplo, às vésperas das Copas de 2014 (68%), no Brasil, de 2010 (64%), na África do Sul, e de 2006 (83%), na Alemanha, quando o time de Ronaldo, Ronaldinho, Adriano e Robinho naufragou nas quartas de final diante da França.

Segundo o levantamento, atrás do Brasil aparecem Alemanha (11%) e Argentina, Rússia, França e Espanha, todas com 2% – 31% não souberam responder e 2% apontaram outra seleção como favorita.

"Não estou empolgado (com a Copa), muito pelo resultado da última (se referindo ao 7x1), mas vou assistir aos jogos. Naturalmente a empolgação pode aumentar conforme o time for vencendo as partidas", diz o gerente de vendas Leandro Costa, 40.

Sobre o otimismo pelo título, o que se fala nas ruas também se vê no comando da Seleção.

Nesta segunda-feira (11), em Moscou, o presidente da CBF, o coronel Antônio Carlos Nunes, disse ao comando da Fifa para já preparar a taça do hexacampeonato mundial. "Disse ao (Gianni) Infantino (presidente da Fifa) que ele pode preparar a taça para o Brasil. Quero levantar a taça."

"Estou mais ou menos ansiosa para a Copa. Meus irmãos, que são mais fanáticos, estão mais que eu. No meu bairro, não pintam mais a rua como antes", diz a recepcionista Tânia Ferreira, 29.

O favoritismo apontado para a Seleção bate com a aprovação do técnico Tite, há dois anos no cargo. Ele assumiu a equipe após a sequência de fracassos de Dunga.

Entre os entrevistados, 64% consideram o trabalho do gaúcho de 57 anos como ótimo ou bom, contra 13% regular, 5% péssimo e outros 18% que não souberam opinar, percentual que também indica o desinteresse pela seleção.

A aprovação atual de Tite (64%) supera a de Luiz Felipe Scolari (51%) antes do Mundial de 2002, quando levou o penta no Japão, os 49% de Dunga em 2010 e os 62% de Parreira em 2006. Fica atrás, porém, dos 68% de Felipão antes do Mundial do Brasil, em 2014.

Segundo a mesma pesquisa, 53% dos brasileiros afirmam não ter nenhum interesse pelo Mundial. No final de janeiro, o índice de desinteressados era 42%. O Datafolha ouviu 2.824 pessoas em 174 municípios na quinta (7) e sexta-feira (8), e a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: