Milton Bivar, presidente do Sport
Milton Bivar, presidente do SportFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O presidente da República, Jair Bolsonaro, informou ontem, em entrevista coletiva no Palácio da Alvorada, em Brasília, que pedirá ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, uma mudança no formato de quarentena da população por conta do novo coronavírus. De acordo com Bolsonaro, o ideal é criar uma espécie de "isolamento vertical", mantendo apenas idosos e pessoas doentes em casa. Com isso, o desejo do chefe do Executivo é que as demais pessoas retornem aos trabalhos. No esporte, essa medida acarretaria na volta dos treinamentos e, posteriormente, dos campeonatos. A Folha de Pernambuco colheu as opiniões do Trio de Ferro da capital e do presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, para saber se um novo direcionamento do Governo Federal pode alterar a programação dos clubes e da entidade.

"Bolsonaro tem uma visão parecida com a do presidente Donald Trump (Estados Unidos). Existe uma polaridade enssa questão de isolamento total ou parcial. O fato concreto é que nós estamos alinhados ao Ministério da Saúde e ao Governo de Pernambuco. Vamos continuar seguindo a recomendação atual (da quarentena geral)", afirmou Evandro. O presidente da FPF destacou recentemente que, caso a paralisação dos torneios permaneça até setembro, o Campeonato Pernambucano 2020 será cancelado, sem campeão ou rebaixados.

Mesmo com o retorno aos treinos programado para a próxima segunda (período que deve ser adiado em breve), o Náutico segue na mesma linha. "Vamos manter a recomendação do governo de Pernambuco, baseada no posicionamento da Secretaria de Saúde do Estado e alinhada à Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundação Nacional de Saúde", frisou o presidente do clube, Edno Melo. O Timbu, ontem, também intensificou os cuidados com os atletas, informando que até mesmo os jogadores que estavam indo ao Centro de Treinamento Wilson Campos para tratar de lesões terão que ficar em casa, com exceção de Ronaldo Alves e Álvaro, que passaram por cirurgia recentemente.

Leia também:
Daniel Alves critica pronunciamento de Bolsonaro sobre coronavírus
Secretários estaduais de saúde se dizem estarrecidos e que Bolsonaro dificulta luta contra Covid-19


Em nota, o Santa Cruz informou que a reapresentação do departamento de futebol profissional, marcada inicialmente para a terça, passou para o dia 14 de abril. "Reafirmamos que nossa maior preocupação é com a saúde de todos e, caso não haja uma melhora no panorama referente ao combate desta pandemia, poderemos remarcar, mais uma vez, a volta dos nossos profissionais", informou.

No Sport, o presidente Milton Bivar mostrou certa dúvida em relação a mensagem que o presidente da República quis passar à população. Segundo o mandatário, Bolsonaro foi "muito frio" em seu discurso. "A forma que ele falou não foi adequada. Não tenho certeza se ele quer acabar com o isolamento. Vi ele falando que existe um grupo de risco (idosos), no qual eu faço parte, e isso é verdade. Ele cita que os mais jovens têm que trabalhar. É claro que o coronavírus pode matar mil pessoas, mas se a economia parar podem morrer cinco mil, por exemplo. Sei que ele também mostrou estar dando apoio ao Ministério da Saúde, tomando as providências necessárias para conter o avanço da doença. Temos que olhar por esse lado", afirmou.

Ainda de acordo com o presidente leonino, caso Jair Bolsonaro decrete que o País retorne às atividades, mesmo em meio à pandemia da Covid-19, o Sport dará prioridade à saúde de seus funcionários. "Não tem o que pensar. Não tem ordem de Governo Federal, nem nada. Assim como decidi parar logo as atividades quando iniciou a disseminação do vírus, vou pensar primeiramente nos funcionários do clube. A saúde deles em primeiro lugar", finalizou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: