Lances de Santa x Náutico
Lances de Santa x NáuticoFoto: Léo Lemos/Náutico

O que é necessário para um jogo de futebol receber a condição de clássico? A resposta dificilmente escaparia de questões subjetivas. No entanto, se alguns pré-requisitos básicos fossem elencados para designar quais duelos merecem tal alcunha, é justo dizer que o confronto Santa Cruz x Náutico atende às principais características. Ambos possuem tradição de sobra, torcidas massivas em Pernambuco e se enfrentam há mais de cem anos. Neste sábado, às 18h, no Arruda, mais um capítulo do Clássico das Emoções será escrito. E com um ingrediente especial: um equilíbrio poucas vezes visto na história recente.

Somente em 2019, tricolores e alvirrubros já se enfrentaram três vezes. Curiosamente, ninguém saiu vitorioso. Ao menos ao fim do tempo regulamentar. No primeiro encontro, válido pela Copa do Nordeste, um eletrizante empate por 2x2. Já pela Copa do Brasil, no Arruda, o placar ficou em 1x1, em mais um embate que fez jus ao epíteto Clássico das Emoções. A diferença em relação aos outros jogos é que, desta vez, a Cobra Coral se deu melhor, pois eliminou o rival na disputa de pênaltis. A terceira e última vez que Náutico e Santa mediram forças foi nos Aflitos, em março passado, e os dois times não saíram do zero.

Uma diferença considerável marca os times da atualidade em relação aos que duelaram nas outras três oportunidades. No Náutico, o técnico era Márcio Goiano. Hoje, o Timbu é comandado por Gilmar Dal Pozzo. Já o Santa era treinado por Leston Júnior, que saiu e deu lugar a Milton Mendes, responsável pela guinada nos resultados do Tricolor. Em quatro partidas, foram três vitórias e um empate. Há outros números favoráveis ao atual comandante coral. Na primeira vez que esteve no Arruda, em 2016, disputou seis clássicos. Venceu três, empatou dois e foi derrotado somente uma vez.

Para o clássico deste sábado, o treinador do Santa deve mandar a campo mais uma vez uma escalação diferente. O maior problema é na lateral-esquerda. Bruno Ré ainda está machucado. Já Carlos Renato se recuperou de uma entorse no tornozelo direito e chegou a participar do último treino, mas tudo indica que o posto será assumido pelo lateral-direito Cesinha, improvisado. No setor ofensivo, uma dúvida. Caso Misael - recém-recuperado de um desconforto na coxa esquerda - fique como opção no banco, Daniel Costa tem boas chances de entrar como meia. Assim, Dudu seria deslocado para o ataque.

O técnico Gilmar Dal Pozzo fechou os últimos três treinamentos do Náutico à imprensa. Tática comum de quem prefere esconder a escalação, correto? Nem sempre. O comandante não fez mistério e confirmou os titulares. A lista também não tem novidades: os 11 que começarão serão os mesmos que estiveram em campo na vitória por 2x0 diante do Sampaio Corrêa, no Castelão/MA, pela Série C 2019. "Temos vários jogadores que cumprem algumas funções dentro de campo e, com isso, algumas possibilidades de mexer sem mudar as peças. Estamos treinando com essa formação há três semanas e estou gostando”, disse.

O treinador também avaliou como positivo o período de preparação do Náutico para o clássico, mesmo com o contratempo da semana devido o adiamento por dois dias consecutivos do jogo contra o Botafogo/PB, nos Aflitos - as fortes chuvas que atingiram o Recife prejudicaram o gramado. O novo duelo será dia 3 de julho, às 19h. “As semanas de trabalho foram boas. Vi evolução na equipe, nos comportamentos com e sem bola, com movimentos que não estávamos fazendo antes. Nosso time está mais competitivo e compacto. Não sei se teremos algum prejuízo por não termos jogado na outra rodada”, afirmou.

Assim como Milton, Dal Pozzo ainda não perdeu desde que retornou a Pernambuco. Foram cinco jogos, com três vitórias e dois empates. O técnico, contudo, prefere não criar um embate direto com o colega de profissão. “O enfrentamento é com o Santa Cruz e não de individualidades. Acompanhei a sequência boa dele na carreira. Será um duelo tático, não individual”, argumentou. Por falar em confrontos “um contra um”, o jogo colocará frente a frente dois artilheiros: Pipico, pelo Tricolor, e Wallace Pernambucano, pelo Timbu. O primeiro tem seis gols no torneio, enquanto o segundo fez três.

Leia também:
Santa Cruz desenhado para o Clássico das Emoções
Dal Pozzo confirma escalação do Náutico para Clássico das Emoções

veja também

comentários

comece o dia bem informado: