Gabigol marcou um gol e foi peça importante no Flamengo.
Gabigol marcou um gol e foi peça importante no Flamengo.Foto: Alexandre Vidal/CRF

Mais folgado que o Flamengo na liderança do Brasileirão somente o seu camisa 9 na artilharia do torneio. Gabriel Barbosa, o “Gabigol”, é um homem que honra seu apelido. Ele marcou 16 gols em 15 jogos disputados no primeiro turno da Série A. Média superior a um por partida. O atacante de 23 anos já é o segundo maior artilheiro de um turno na história da competição, desde que foi adotado o modelo de pontos corridos com 20 clubes, em 2006. Somente Fred, em 2011, balançou mais as redes nesse recorte - foram 19 no segundo turno. Considerando apenas a primeira metade do campeonato, ninguém supera o craque - Josiel (Paraná, em 2007), Borges (Santos, em 2011) e Éderson (Athletico/PR, em 2013), com 12, foram os que mais se aproximaram. A torcida flamenguista não cansa de estampar a faixa que já ficou famosa nos gramados brasileiros: “Hoje tem gol do Gabigol”.

Neste século, o único jogador que marcou mais que Gabigol em um primeiro turno da Série A foi Dimba, em 2003, pelo Goiás. Na ocasião, porém, o campeonato não tinha 19 rodadas por turno, mas sim 23. A última vez que os rubro-negros tiveram um artilheiro no primeiro turno foi em 2009, ano que o clube venceu o torneio. Adriano foi o matador da época, com 10 gols.

Gabigol também está próximo de quebrar outra marca. No ano passado, pelo Santos, o atacante terminou o Brasileirão como artilheiro, marcando 18 gols em 35 jogos. Ele precisa apenas de mais dois para igualar o feito. Analisando o ano de 2019, o jogador do Flamengo já empatou com a marca de bolas na rede de um companheiro de posição com apelido parecido, Gustavo, o “Gustagol”, hoje centroavante do Corinthians. Ano passado, pelo Fortaleza, o atleta se credenciou como o maior goleador de 2018, com 30 gols. A mesma quantidade de Gabriel neste ano (16 pelo Brasileirão, sete pelo Campeonato Carioca, cinco pela Libertadores e dois pela Copa do Brasil).

O Maracanã é o palco preferido de Gabigol. Dos 30 gols em 2019, 17 foram no estádio. A maior vítima do atacante foi o Athletico/PR, com três gols. Boa parte da boa fase do atacante se deve aos seus companheiros de equipe. Em especial, dois deles: Arrascaeta (oito gols) e Bruno Henrique (sete). Juntos, eles somam 31 dos 42 tentos do clube. O trio tem mais gols do que todos os times do Brasileirão.

Leia também:
Segundo Datafolha, 20% dos brasileiros torcem para o Flamengo
Português e Sport tentam mudar retrospectiva na Liga Nacional de Handebol

veja também

comentários

comece o dia bem informado: