Museu interativo
Museu interativoFoto: Arte

Interatividade e esporte se unem na Semana Nacional do Museu. Com o objetivo de valorizar a história e inspirar pessoas através de exemplos no desporto olímpico e paralímpico, está em cartaz no eMuseu a segunda temporada da exposição virtual colaborativa. Todo o material disponível é parte do acervo pessoal de fãs, atletas, ex-atletas e de entidades esportivas.

Em uma dinâmica 3D no site do eMuseu, é possível revisitar, por exemplo, a primeira conquista mundial do basquete brasileiro, em 1959, em parceria com a Confederação Brasileira de Basketball. Um avatar 3D conduz a visita guiada ao museu, preservando a memória do esporte, por meio da cultura, sempre valorizando o legado da transformação social com uso da tecnologia.

Os destaques são Camila Bombana no tiro com arco, Yanca Costa no surfe e Clodoaldo Costa, que é medalhista paralímpico na natação. Além disso, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (SESI-SP) e a Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef) apresentarão as histórias de superação e garra de seus atletas no paralímpico."A intenção é criar um museu através da construção colaborativa de toda a sociedade, incentivando, promovendo, divulgando e registrando a importância que o esporte tem em nossas vidas, como agente de transformação social, além de mostrar a enorme paixão que desperta", explica Bianca Gama, idealizadora do projeto.

Vale citar que, no mês passado, foi realizado o lançamento oficial do eMuseu, por meio do site emuseudoesporte.com.br, com a estreia da exposição temporária virtual Ciência x Mitos: na Copa de 1970 de futebol, de curadoria e acervo do professor Dr. Lamartine da Costa. Essa exposição, inclusive, segue aberta para os fãs da Seleção Brasileira de futebol.

O eMuseu do Esporte surge para registrar a memória do esporte e seu legado em um formato inovador e colaborativo. O museu virtual traz a tradicionalidade de um museu físico, a exibição eletrônica incluindo um tour e a construção colaborativa de toda a sociedade. As exibições são divididas em exposições temporárias e museus permanentes.

O projeto terá, neste primeiro momento, oito museus virtuais permanentes, que serão lançados em junho de 2020, em uma plataforma 3D com o que há de mais moderno na navegação web. Farão parte do acervo permanente: a Enel, a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), a Confederação Brasileira de Basketbal (CBB), a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), o Comitê Brasileiro de Esporte Master (CBEM). Todos terão um tour virtual com exposição de vídeos e fotos em acervos inéditos, trazendo experiências imersivas aos fãs.

Futebol

Outra opção é o Museu do Futebol. Desde 2013, ele possui parceria com o Google Cultural Institute, tendo lançado exposições virtuais na plataforma Google Arts and Culture, que disponibiliza acervos de mais de 1.200 museus e coleções pelo mundo.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: