Diego, do Flamengo, durante coletiva no centro de treinamento Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro, na manhã desta terça
Diego, do Flamengo, durante coletiva no centro de treinamento Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro, na manhã desta terçaFoto: Thiago Ribeiro/AGIF/Folhapress)

O meia Diego foi o primeiro jogador do Flamengo a conceder entrevista desde o incêndio ocorrido no alojamento do Ninho do Urubu, centro de treinamentos do clube, na última sexta-feira (8), que deixou dez mortos e três feridos.

O jogador se emocionou ao atender os jornalistas nesta terça (12) e, em lágrimas, precisou interromper a coletiva por mais de um minuto. Ele pediu desculpas quando falava sobre os contatos com Cauan Emanuel, um dos feridos na tragédia e que foi visitado pelos atletas no hospital.

Leia também:
Diretoria do Flamengo sai de reunião sem respostas sobre incêndio
Jogadores do Flamengo visitam feridos de incêndio em hospital do Rio


"Ele me mandou uma foto comemorando gol e perguntou: 'Conhece essa comemoração? Eu me inspiro em você'. Temos que seguir. Seremos inspirações", afirmou o camisa 10 flamenguista.

"Temos procurado enfrentar a situação da melhor forma possível. Não temos respostas para tudo, mas precisamos seguir de alguma forma. Acredito que precisamos honrar e dignificar esses garotos. Precisamos manter o sonho deles vivo. Fazer o que fizeram. Competir e ser feliz. Vou completar 34 anos e estou vivendo esse sonho. Nos sentimos nessa obrigação", completou.

O meia também elogiou a estrutura do Flamengo e as melhorias que o clube realizou ao longo do tempo. Por fim, declarou que será preciso superar o episódio e seguir. "A emoção virá. Carregaremos essa situação. As pessoas não podem confundir quando estivermos no treinamento, um jogo, competindo, sorrindo, que deixaremos de lembrar em algum momento. Carregaremos isso conosco", disse.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: