Em ótima fase, Messi lidera o Barça
Em ótima fase, Messi lidera o BarçaFoto: Jorge Guerrero/AFP

Com a esperança de voltar ao topo da Europa e a vantagem conquistada no jogo de ida (0x1), o Barcelona de Lionel Messi recebe, nesta terça-feira (16), o Manchester United (16h, horário de Brasília) para tentar quebrar sua maldição das quartas de final da Liga dos Campeões.

Nos últimos três anos, o clube catalão caiu nessa fase contra Atlético de Madrid, Juventus e Roma. A ferida desta última eliminação (4x1, 0x3) quando a classificação parecia garantida ainda dói, mas também aumenta a motivação.

"A eliminação da Champions ficou entalada, principalmente pela forma como aconteceu", advertiu Messi no início da temporada. "Vamos dar tudo para que essa copa tão linda e tão desejada volte para o Camp Nou".

Leia também:
Barcelona vence United e fica mais próximo da semifinal
Neymar comenta foto de Messi e Suárez, e torcida pede volta ao Barcelona
Manchester United efetiva Solskjaer como treinador


Chegar às quartas de final já é um hábito para a equipe catalã, presente na fase há doze temporadas, um recorde. Mas nas últimas cinco temporadas, conseguiram superar essa fase apenas uma vez, em 2015, o ano de seu quinto título da Liga dos Campeões.

Esperanças depositadas em Messi
"Todos querem que existam ciclos vencedores de maneira permanente e isso não se consegue nunca", disse o técnico azul-grená Ernesto Valverde. O treinador parece ter aprendido a lição romana: no ano passado, entre os jogos de ida e de volta das quartas, não deu descanso a seus jogadores que acabaram sentindo na capital italiana, e sofreram a última derrota em 19 partidas do torneio.

Desta vez, todos descansaram no sábado na partida contra o Huesca, em que o time reserva ficou no empate em 0x0, com a Liga espanhola praticamente decidida a favor do clube catalão. Entre os habituais reservas, o destaque foi o francês Ousmane Dembélé, que voltava de uma lesão e se firmou como uma opção que pode ser levada em conta na terça-feira.

Mas se alguém representa as esperanças do Camp Nou é o sempre indispensável capitão Messi, em estado de graça permanente: 43 gols em 41 partidas nesta temporada, oito deles na Liga dos Campeões. "Nós esperamos muitas coisas de Leo, ele sempre aparece", afirmou o técnico antes da partida em Manchester.

E o argentino confirmou a tese em Old Trafford, iniciando a jogada do gol contra de Luke Shaw. O cinco vezes vencedor da Bola de Ouro sofreu uma pancada forte no nariz, e o descanso no fim de semana acabou sendo bem-vindo.

Solskjaer: "Podemos avançar"
A terça-feira será o momento de saber se as eliminações do Barça nas quartas são uma infeliz coincidência ou uma tendência. De saber se pode reeditar a tríplice coroa Liga-Copa-Champions de 2009 e 2015.

De saber também se o domínio dos clubes espanhóis na Europa, vencedores das últimas cinco edições (quatro do Real Madrid e uma do Barcelona) vai chegar ao fim em benefício dos clubes ingleses, que estão com uma forte presença nestas quartas.

Mas para isso o Barça vai precisar superar o United, que já sabe o que é virar fora de casa depois de ter perdido no Old Trafford. Foi no mês passado, no estádio do Paris Saint-Germain (0x2, 3x1).

Foi a primeira grande façanha do treinador e ex-jogador Ole Gunnar Solskjaer, que também tem experiência em viradas no Camp Nou: um gol marcado por ele deu aos 'Diabos Vermelhos' a vaga na final da Champions de 1999 em Barcelona contra o Bayern de Munique (1x2), em uma partida que os ingleses perdiam até o último minuto regulamentar da partida. "A atuação em Paris nos dá esperanças de que podemos avançar", disse ele.

"Mas ir ao Camp Nou é um grande desafio. É uma proeza ainda maior", insistiu o técnico norueguês que para o duelo terá o atacante chileno Alexis Sánchez disponível após se recuperar de uma lesão que o afastou durante seis semanas.

"Podemos nos classificar", disse por sua vez a estrela francesa Paul Pogba, pouco brilhante no jogo de ida mas que vem sendo acompanhado de perto na Espanha, onde é cortejado pelo Real Madrid.

Com os antecedentes do rival e as feridas de Roma ainda na memória, os catalães preferem ser prudentes. "O resultado não é definitivo. Temos que fazer nosso jogo e não temos por que especular com o marcador", advertiu Valverde.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: