Gabriel Medina durante treino no CT do Time Brasil
Gabriel Medina durante treino no CT do Time BrasilFoto: Divulgação/COB

Em menos de um mês, o bicampeão mundial de surfe Gabriel Medina estará competindo na etapa que abre o Championship Tour 2019, da Liga Mundial de Surfe (WSL), na Gold Coast, Austrália. Como a modalidade estreará no programa olímpico nos Jogos de Tóquio-2020, ele fez uma pré-temporada diferente neste ano, com o suporte físico e profissional do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Apontado como uma esperança real de medalha olímpica, Medina passou 15 dias realizando trabalhos específicos no Centro de Treinamento do Time Brasil, no Rio de Janeiro, onde passou por testes e avaliações científicas focadas na melhora de desempenho e na prevenção de lesões.

Acostumado a se preparar na maior parte do tempo dentro do mar, Medina só caiu na água, de fato, na última quarta-feira, na praia da Barra da Tijuca, onde foi realizada uma simulação de competição para analisar as condições físicas dele. “Essa preparação de praticamente duas semanas foi bem intensa. Tive que trabalhar bastante fora da água. Foi tudo diferente para mim. Essa experiência, na real, é uma oportunidade que poucos caras têm e estou tentando aproveitar ao máximo. Treinei bastante, me esforcei e fiz vários exames. Tenho certeza que os resultados vão ser bons. Me sinto 100% para começar a temporada”, avaliou Medina, que embarca nos próximos dias para a Austrália.

Leia também:
'Brasileiro quer que você ganhe sempre', diz Medina sobre pressão de fãs
Medina repete grande apresentação em Fernando de Noronha
Bicampeão, Medina diz que relaxou após título em 2014
Medina confirma favoritismo e é bi mundial de surfe


A etapa da Gold Coast terá início no dia 3 de abril, com janela de competição até o dia 13 para homens e mulheres. “Todos esses detalhes fazem diferença na minha performance. São detalhes que nunca tive acesso na vida. Vou poder melhorar o que eu tenho de ruim. Eu sempre procuro melhorar e isso é fundamental. Está sendo uma experiência incrível”, completou o bicampeão mundial.

Olimpíada
Por ora, a cabeça de Medina está focada no início do Tour 2019, no qual entrará para tentar o tricampeonato mundial. Mas ele não esconde que há uma contagem paralela à espera dos Jogos Olímpicos, uma competição inédita na carreira dele. “Estou indo agora para Austrália, mas com bastante foco nos Jogos Olímpicos. É o começo de um trabalho longo e duro, mas que começamos aqui. Quero estar em Tóquio representando o Brasil. Falta pouco, então é continuar esse trabalho, treinar e buscar a classificação”, projetou ele, que teve a oportunidade de conviver em um ambiente diferente nos últimos dias.

“O ambiente é muito legal, porque são várias pessoas buscando o mesmo objetivo, que é vencer. Meu esporte é individual e eu treino bastante sozinho, então poder ver pessoas de outros esportes se esforçando, querendo ou não todo dia que estive no CT foi um dia que me inspirei nos outros para treinar. Me inspirei nesse ambiente”, afirmou o surfista, que teve uma experiência no mundo olímpico em 2009, quando, aos 15 anos, integrou o Time Brasil nos Jogos Sul-americanos de Praia, em Punta del Este.

Na visão do padrasto e treinador de Medina, Charles Saldanha, o atleta, com 25 anos, ainda não atingiu o auge dele, tendo muito ainda pela frente. A parceria com o COB é vista com bons olhos, afinal, quanto mais lapidado, mais difícil será encontrar os déficits do surfista e, nesse sentindo, os testes e avaliações científicas contribuem - e muito.

“É o que tem de melhor em tecnologia para o esporte no mundo, então se for usado a nosso favor com certeza vai melhorar ainda mais o desempenho do Gabriel. Tivemos à disposição tudo de melhor para analisar Gabriel e ele ter um ano melhor ainda do que os últimos. Se conseguirmos melhorar o desempenho dele em 1%, já está valendo. E, com tudo que fizemos aqui, eu tenho certeza que vai acontecer. Estamos felizes e esperançosos”, disse Charles.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: