Conor McGregor
Conor McGregorFoto: AFP

O polêmico lutador de Artes Marciais Mistas (MMA), Conor McGregor anunciou nesta segunda-feira (25), sua aposentadoria do esporte nas redes sociais pela segunda vez em três anos. "Oi pessoal, um anúncio rápido: decidi me aposentar desse esporte formalmente chamado de 'Artes Marciais Mistas' hoje. Desejo o melhor aos meus ex-companheiros daqui em diante. Agora, me junto a meus ex-colegas nessa aventura na aposentadoria", disse McGregor, de 30 anos.

Esta notícia foi recebida com ceticismo pelos fãs de MMA, que não esquecem que McGregor já havia anunciado sua retirada dos octógonos uma primeira vez em abril de 2016.

Apelidado de "The Notorious", o irlandês sempre foi conhecido por suas provocações, mas ele também fez sua parte dentro do octógono, diferente de Chael Sonnen, outro que provocava bastante. Ele foi campeão do UFC no peso pena em 2015 e 2016 e dos leves de 2016 a 2018, se tornando o primeiro lutador a ostentar o título em duas categorias diferentes ao mesmo tempo. A vitória contra José Aldo na disputa do cinturão peso pena, foi seu auge. Com apenas 13 segundos McGregor nocauteou o brasileiro. Com um retrospecto total de 21 vitória e quatro derrotas, McGregor lutou pela última vez em outubro do ano passado no UFC-229 em Las Vegas, sendo derrotado pelo russo Khabib Nurnagomedov.

Personagem que sempre foi o irlandês nunca escondeu seu desejo de ganhar bastante dinheiro com as lutas. Não foi diferente em sua única luta no Boxe em 2017, contra a lenda Floyd Mayweather. Apesar da derrota por decisão dos juízes no décimo round, McGregor faturou 30 milhões de dólares.

- Problemas com a lei -

Polêmico, McGregor teve problemas recentes com a lei após ser preso em meados de março pela polícia americana por supostamente quebrar o celular de um fã na entrada de uma boate de Miami Beach, na Flórida. O lutador foi liberado após pagar fiança de 12.500 dólares.

Em abril de 2018, McGregor feriu outros dois lutadores em Nova York depois de uma coletiva de imprensa do UFC para a qual não havia sido convidado. Detido pela polícia de Nova York e logo solto, o lutador se declarou culpado por perturbar a ordem, o que o salvou de um julgamento e da prisão, aceitando realizar serviços comunitários e terapia para controlar sua raiva.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: