Futebol

Manchester City oficializa sua retirada do projeto da Superliga; CEO do United renuncia

Clubes são dois dos 12 fundadores da competição, que foi anunciada no último domingo

Torcedor do Manchester City pede cancelamento da Super LigaTorcedor do Manchester City pede cancelamento da Super Liga - Foto: Justin Tallis/AFP

O Manchester City, um dos 12 clubes europeus fundadores da European Super League (ESL), organizadora da nova Superliga, torneio privado e quase fechado, foi o primeiro a oficializar a sua saída do projeto nesta terça-feira, em um comunicado publicado em seu site oficial. 

"O Manchester City Football Club confirma que iniciou formalmente o processo de retirada do grupo que elabora o plano para uma Superliga Europeia", explicou a entidade em seu comunicado. 

De acordo com a imprensa inglesa, o Chelsea também prepara sua retirada do grupo dissidente, que nos últimos dias irritou federações internacionais como Uefa e Fifa, além de ter despertado protestos de torcedores.

Em meio aos rumores sobre a desistência de alguns membros da Superliga e minutos após a retirada formal do City, o Manchester United anunciou que seu vice-presidente executivo, Ed Woodward, deixará o cargo no fim de 2021.

"Estou extremamente orgulhoso de ter servido o United e foi uma honra trabalhar para o maior clube do mundo nos últimos 16 anos", afirmou o dirigente, em comunicado publicado no site do clube inglês.

Veja também

Em Tóquio, atletas paralímpicos terão uniformes com acessibilidade
Paralimpíada

Em Tóquio, atletas paralímpicos terão uniformes com acessibilidade

Em teste para Tóquio, Isaquias mostra que é favorito a duas medalhas
Canoagem

Em teste para Tóquio, Isaquias mostra que é favorito a duas medalhas