Maria Lenk começa com quatro pernambucanas na água

Destaque para Joanna Maranhão, que fez o melhor tempo da carreira na eliminatória dos 100 metros borboleta

Clarissa Rodrigues, nadadora pernambucana do Sesi/SPClarissa Rodrigues, nadadora pernambucana do Sesi/SP - Foto: Cortesia

Única seletiva para o Mundial de Piscina Longa de Budapeste, o Troféu Maria Lenk – Campeonato Brasileiro de Natação teve início na manhã desta terça-feira (2), no Rio de Janeiro, com as primeiras eliminatórias do programa de provas. E logo neste primeiro dia de competição, teve Pernambuco na água.

Só nos 100 metros borboleta, competiram quatro atletas do Estado: Etiene Medeiros e Clarissa Rodrigues, do Sesi/SP, Joanna Maranhão, da Unisanta/SP, e Thaís Fazekas, do Flamengo/RJ. Dessas, somente Clarissa estará na final A, tendo se classificado com o tempo de 1min00s35 – a marca foi melhor do que a registrada há uma semana, quando ela faturou o ouro no Sul-Americano Júnior, com 1min01s14.

Joanna, embora tenha feito o terceiro melhor tempo da eliminatória dos 100 metros borboleta, nadando pela primeira vez abaixo de um minuto (59s94) - como só pode nadar três provas oficiais, ela fica em observação. Confirmada, porém, está a participação dela na final dos 400 metros livre, que também acontece esta noite. Na classificatória dessa prova, ela fez o segundo melhor tempo (4min17s50), mas tem perspectiva de baixar consideravelmente a marca na final, uma vez que o tempo de entrada dela no Lenk é 4min12s22.

Principal nome da natação feminina nacional na atualidade, Etiene Medeiros não fará finais nesta terça. Ele fez somente o nono tempo (1min02s54) na classificatória dos 100 metros borboleta e já adiantou que não estará na final B. A estreia foi mais para quebrar o gelo no evento. Thaís Fazekas, por sua vez, foi 12ª, com 1min03s91, e nadará a final B.

A final A dos 100 metros borboleta, por sinal, promete ser emocionante com o duelo entre Daynara de Paula (Sesi/SP) e Daiene Dias (Unisanta/SP). O equilíbrio entre elas é tanto que ambas bateram 59s18 na prova classificatória.

Na versão masculina dos 100 metros borboleta, Henrique Martins fez o quarto tempo do mundo na temporada, com 51s57. Já nos 400 metros livre masculino, o destaque é o equilíbrio. A diferença do primeiro para o oitavo colocado é de apenas três segundos. Luiz Altamir Melo foi o melhor, com 3min53s89, enquanto o oitavo tempo para a final foi Miguel Valente com 3min56s04.

Nos 100 metros peito, a argentina Julia Sebastian foi a melhor, com 1min08s69, seguida por Jhennifer Conceição, com 1min08s66. No masculino, destaque para Felipe Lima, que fez a melhor marca da carreira, com 59s32. Ele não baixava tempo desde 2013, quando foi bronze no Mundial de Barcelona.

Veja também

Santa terá três baixas por Covid-19 para a 'decisão' diante do Brusque
Santa Cruz

Santa terá três baixas por Covid-19 contra o Brusque

Golfista argentino procurado pela Interpol é detido no Rio
Golfe

Golfista argentino procurado pela Interpol é detido no Rio