Marin é condenado a 4 anos de prisão e multa de US$ 1,2 mi

Ex-presidente da CBF, José Maria Marin foi condenado depois de um julgamento de 3 horas pela juíza Pamela Chen

José Maria Marin, ex-presidente da CBFJosé Maria Marin, ex-presidente da CBF - Foto: Divulgação/CBF

A Justiça americana condenou nesta quarta-feira (22) o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) José Maria Marin, 86, a 48 meses de prisão e a pagar multa de US$ 1,2 milhão por receber propinas e lavar dinheiro no escândalo de corrupção da Fifa.

Marin foi condenado depois de um julgamento de 3 horas pela juíza Pamela Chen, que ordenou ainda o confisco de US$ 3,3 milhões do cartola.

Dos 48 meses estipulados inicialmente, Marin terá que cumprir apenas 28. Sete foram removidos da sentença por bom comportamento e outros 13 meses que o cartola já está preso devem ser computados.

A multa de US$ 1,2 milhão será dividida em seis parcelas, que começarão a ser pagas seis meses depois de 20 de novembro, quando a juíza fará nova audiência para decidir sobre a restituição.

Leia também:
Ex-presidente da CBF conhecerá sentença nesta quarta
Promotoria dos EUA pede 10 anos de prisão para Marin


As acusações no chamado Fifagate englobam ações de suborno, fraudes e de lavagem de dinheiro. Os cartolas teriam recebido pagamentos ilegais, que começaram em 1991 e atingiram duas gerações de dirigentes e executivos, que movimentaram mais de R$ 564 milhões.

Parte desse dinheiro foi pago para obtenção de vantagens por empresas para terem os direitos de transmissão de partidas das eliminatórias do Mundial.

Veja também

Chateado, Martelotte se desculpa com o torcedor e lamenta permanência na série C
Santa Cruz

Chateado, Martelotte se desculpa com o torcedor e lamenta permanência na série C

Gestão Constantino Júnior fecha ciclo sem conquistas
Futebol

Gestão Constantino Júnior fecha ciclo sem conquistas