Marlone quer manter bom aproveitamento nas bolas paradas

No total, dos quinze gols leoninos na Série A, seis surgiram de bolas paradas, com cobranças de Marlone, referência do Sport no quesito

Marlone Marlone  - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Se as bolas cruzadas na área acabam sendo um dos calos da defesa do Sport, a bola parada vem sendo uma arma fundamental saindo dos pés de Marlone. Diante do Palmeiras, por exemplo, o gol de empate de Anselmo e o gol da vitória, marcado por Rafael Marques, surgiram de cobranças de escanteio do meia do Sport. Peça ofensiva com mais jogos pelo Sport nesta temporada, num total de 26, um a mais que o meia Gabriel. No total, o Sport fez 27 jogos até o momento neste ano.

Leia também:
Sport cumpre promessa com elenco e quita salários de abril
Feliz com o espaço, Rafael Marques sonha alto no Sport
Magrão estende contrato e fica no Sport até o fim de 2019
Boa fase aumenta concorrência no meio de campo do Sport

Marlone só não esteve em campo com a camisa do Sport diante do Corinthians, no empate em 1x1, na Arena de Pernambuco, quando não poderia atuar por uma questão contratual. Aos 26 anos, o meia busca retomar a regularidade que teve em maior parte desta temporada e reconhece que a bola parada leonina vem sendo uma das melhores armas do time. “Claudinei tem sempre prezado pela bola parada, um dos nossos pontos fortes. Realmente estou treinando bastante, e os meninos estão atacando bem essa bola. É uma situação que pode definir os jogos, como já aconteceu algumas vezes. É fruto de treinamento, quanto mais a gente aperfeiçoar, tudo flui naturalmente”, comentou Marlone, em entrevista ao site oficial do Sport.

No total, dos quinze gols leoninos na Série A, seis surgiram de bolas paradas, com cobranças de Marlone. Com o time ocupando a sétima colocação geral, com 19 pontos ganhos, o meia comemora a boa fase vivida. “Acho que a gente tem que sonhar. Já mostramos contra equipes qualificadas que temos uma equipe que realmente está querendo coisas grandes na competição. Temos que continuar nessa pegada, sem salto alto, e quando não der na técnica tem que ser na vontade. Acho que o pensamento é esse: sonhar com coisas grandes”, finalizou Marlone.      

Veja também

Brasil se impõe e goleia Peru em noite de testes de Tite
Copa América

Brasil se impõe e goleia Peru em noite de testes de Tite

Triênio e remuneração dos gestores: Conselho do Náutico propõe mudanças no Estatuto
Futebol

Triênio e remuneração dos gestores: Conselho do Náutico propõe mudanças no Estatuto