Marta é uma das dez indicadas ao prêmio de melhor do mundo da Fifa

Fifa destacou que "alcançar o topo não é a parte mais difícil; ficar lá que é" para descrever a consistência de Marta nos últimos anos

Danilo Cabral (PSB)Danilo Cabral (PSB) - Foto: Sérgio Francês/Divulgação

A brasileira Marta voltou a ser finalista do prêmio de melhor do mundo da Fifa. A entidade anunciou nesta quinta-feira (3) as dez indicadas à edição de 2016 do prêmio.
Também são candidatas as alemãs Dzenifer Marozsan, Melanie Behringer e Sara Daebritz, as francesas Camille Abily e Amandine Henry, a americana Carli Lloyd, a japonesa Saki Kumagai, a canadense Christine Sinclair e a sueca Lotta Schelin.

Em seu site, a Fifa destacou que 'alcançar o topo não é a parte mais difícil; ficar lá que é' para descrever a consistência de Marta nos últimos anos. A brasileira completou 13 anos consecutivos como indicada ao prêmio, vencido por ela cinco vezes seguidas entre 2006 e 2010.

Ela se qualificou para disputa do troféu neste ano pelo bom desempenho nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, onde liderou a seleção brasileira na campanha que terminou com a quarta colocação, e pela campanha realizada em seu clube, o sueco Rosengard, campeão da Copa da Suécia com grande participação de Marta na grande decisão.

Marta está entre o grupo de veteranas indicadas ao prêmio. Contando com a brasileira, seis das dez candidatas estão acima dos 30 anos, sendo que apenas Sara Daebritz (21) e Dzsenifer Marozsan (24) estão abaixo dos 25.

Haverá uma participação popular na eleição do 'The Best Fifa', premiação reformulada desde a separação com a Bola de Ouro. A votação do público, a ser aberta nesta sexta-feira (4), será um dos fatores determinantes na definição das três finalistas.

Veja também

Antes com mando de campo favorável, Santa enxerga prejuízo em finais na Arena
Santa Cruz

Antes com mando de campo favorável, Santa enxerga prejuízo em finais na Arena

Justiça vê fraude após Corinthians comprar atacante em situação irregular
Irregularidade

Justiça vê fraude após Corinthians comprar atacante em situação irregular