Futebol

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19

Treinador, além dos atletas Caio Mancha e Negueba, não poderão seguir ao Maranhão, ficando fora da partida contra o Imperatriz/MA, pela Série C

Marcelo Martelotte, técnico do Santa CruzMarcelo Martelotte, técnico do Santa Cruz - Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

O Santa Cruz não terá o técnico Marcelo Martelotte e os jogadores Caio Mancha e Negueba na partida do sábado (31), contra o Imperatriz/MA, no Frei Epifânio, pela Série C do Campeonato Brasileiro 2020. O clube informou nesta quarta (28) que o trio testou positivo para a Covid-19 e terá que cumprir isolamento social.

Ao todo, 40 testes foram realizados pelo clube antes da viagem para o Maranhão, envolvendo atletas e comissão técnica. Pelo tempo estipulado de afastamento de pessoas contaminadas pelo coronavírus, o trio também deve desfalcar o Santa no compromisso perante o Vila Nova, no Arruda, no dia 7 de novembro. A volta ficaria previsto para o dia 13, ante o Remo, no Mangueirão.



Caio Mancha disputou apenas uma partida pelo Santa Cruz, na vitória por 1x0 diante do Treze/PB. Já Negueba - atualmente cedido ao sub-23 para a disputa do Campeonato Brasileiro de Aspirantes - atuou em sete confrontos. Ambos não balançaram as redes pelo Tricolor. 

Inicialmente, o substituto de Martelotte seria o auxiliar, Júnior Boca, mas o profissional sentiu um desconforto e o departamento médico do clube optou por isolá-lo, mesmo com o teste da Covid-19 dando negativo. Boca passará por outra testagem. A outra opção seria Paulo Massaro, mas o treinador está comandando o time sub-23 da Cobra Coral no Brasileiro de Aspirantes. Assim, quem deve assumir a beirada do campo do time ante o Cavalo de Aço, no próximo sábado, é o também auxiliar técnico Thiago Duarte.

Veja também

Bruna Tomaselli vai representar Brasil na temporada 2021 da W Series
Automobilismo

Bruna Tomaselli vai representar Brasil na temporada 2021 da W Series

Brasileira nada mais de 30 horas ininterruptas e bate recorde mundial
Natação

Brasileira nada mais de 30 horas ininterruptas e bate recorde mundial