Santa Cruz

Martelotte não crê que atrasos salariais vão interferir no desempenho em campo

Técnico tricolor afirma que Santa Cruz tem tratado assunto com transparência

Treinador do Santa Cruz, Marcelo MartelotteTreinador do Santa Cruz, Marcelo Martelotte - Foto: Reprodução

A situação financeira do Santa Cruz não vem sendo a das melhores nos últimos tempos. Dentro de campo o time vai fazendo a sua parte. Garantiu a classificação para a próxima fase da Série C de forma antecipada, na liderança, e tem dez pontos para o 2° colocado (Remo). Do outro lado, a realidade é de atrasos nos salários. O técnico do tricolor, Marcelo Martelotte, comentou sobre a situação financeira do clube e relatou que a administração está sendo feita com transparência. 

“A gente administra com muita transparência. A diretoria tem sido transparente com os atletas, com a comissão técnica. A gente tem feito reuniões com o presidente, com o financeiro. Tem sido conversado a respeito da programação, das necessidades dos jogadores”, disse o treinador. 

Ainda segundo Martelotte, o ideal seria que o clube não enfrentasse esse tipo de problema. “Os jogadores têm cobrado, no sentido de entender como é importante esse momento e, ao mesmo tempo, a diretoria tem colocado as possibilidades que vêm sendo feitas para se consertar essa situação e resolver de uma vez por todas esse problema”, revela. 
 

O técnico do Santa disse ainda que não vê problemas com relação ao desempenho do elenco, por conta dos atrasos salariais. "Não vejo como empecilho para a equipe jogar seu melhor futebol com o melhor rendimento possível, porque tem sido tratado com transparência e existe um grau de confiança entre os jogadores, a comissão técnica e a diretoria. Essa situação tem sido controlada da melhor forma possível", esclareceu Martelotte. 

Dificuldades
Até a última terça, conforme relatou a Folha de Pernambuco, o Santa Cruz também lida com outra dor de cabeça: a estagnação de receitas que há muito tempo deveriam ter sido repassadas ao clube, referente à venda de jogadores. A negociação com o Vitória/BA pela compra de 50% dos direitos econômicos do zagueiro João Victor, concretizada pelos baianos no dia 20 de dezembro de 2019, está nesse páreo. Após ter quitado R$ 100 mil no início do ano, de um total de R$ 800 mil pela permanência do defensor na Toca do Leão, o clube baiano ainda tem o valor de R$ 700 mil para pagar aos pernambucanos, montante que tem feito bastante falta aos cofres do Arruda.

Veja também

Situação ideal para Jogos de Tóquio é ter torcedores, diz governadora
Olimpíadas

Situação ideal para Jogos de Tóquio é ter torcedores, diz governadora

Referência no judô, Tenório almeja 7ª medalha paraolímpica aos 50
Esportes

Referência no judô, Tenório almeja 7ª medalha paraolímpica aos 50