NBA

Mata-mata controverso alivia finanças da NBA e tem novo duelo LeBron x Curry

Diversos jogadores e dirigentes criticaram o formato

Foto: Kevin C. Cox/AFP

A NBA experimenta nesta semana um formato inédito de disputa para definição dos últimos classificados aos seus mata-matas. Antes dos tradicionais "playoffs", haverá um torneio chamado de "play-in", no qual oito times disputarão as quatro vagas restantes na fase final da liga norte-americana de basquete.

Na Conferência Oeste e na Conferência Leste, o sétimo colocado receberá o oitavo em jogo único. Quem vencer avançará. O derrotado terá de enfrentar o ganhador do confronto entre o nono e o décimo colocado, em uma briga que fechará o chaveamento de cada conferência.

Isso significa que haverá nova edição do duelo entre LeBron James e Stephen Curry, que já se encontraram na decisão quatro vezes. O Los Angeles Lakers, de LeBron, terminou a temporada regular em sétimo no Oeste, seguido pelo Golden State Warriors, de Curry. Eles se enfrentarão nesta quarta (19) pelo direito de encarar o Phoenix Suns no mata-mata.

O "play-in" tem outras atrações chamativas, como Russell Westbrook, que vive temporada histórica no Washington Wizards, e Jayson Tatum, grande nome do Boston Celtics. Há ainda jovens talentosos, como Ja Morant, do Memphis Grizzlies, eleito novato do ano em 2019/20, e LaMelo Ball, do Charlotte Hornets, favorito a ficar com o prêmio em 2020/21.

Essa exposição de talento em embates competitivos será rentável para a NBA, que já vivia dificuldades financeiras antes mesmo da pandemia de Covid-19, fruto de problemas comerciais com a China. O coronavírus não ajudou, os ginásios continuam com a capacidade de público bem reduzida e os dirigentes têm se apegado às oportunidades que aparecem para diminuir prejuízos.

O dinheiro proveniente das transmissões de TV e as cotas de patrocínio para esse torneio anterior ao mata-mata ajudam nesse sentido. O principal dirigente da liga, o comissário Adam Silver, certamente não está lamentando que a tábua de classificação tenha oferecido um LeBron x Curry para fazer a audiência explodir.

"Estamos em um período de transformação. Precisamos conquistar espectadores", afirmou Silver, em reunião recente com alguns de seus executivos.

O "play-in" provavelmente é um aliado nessa busca, mas tem um preço. Vários jogadores, treinadores e dirigentes de equipes se manifestaram contra o formato, entre eles aquele que é a grande estrela da disputa nesta semana.

"Quem inventou essa m... precisa ser demitido", afirmou LeBron James, irritado pelo fato de o sétimo colocado precisar ratificar a classificação após 72 jogos na primeira fase. "Não entendo a ideia. Você joga mais de 70 vezes, aí pode perder duas e ficar fora", concordou Luka Doncic, do Dallas Mavericks.

O questionamento ao minitorneio não é apenas relacionado ao mérito esportivo. Paralisada por quatro meses pela pandemia na temporada 2019/20, a NBA ainda não conseguiu colocar o calendário em dia e teve de espremer a tabela de 2020/21, com dez rodadas a menos do que ocorre normalmente e menor tempo de descanso -entre as partidas e entre o campeonato anterior e o atual.

O que se viu, então, foram múltiplas lesões em atletas de todos os níveis. O novo formato tornou importante, por exemplo, brigar pelo sexto e pelo décimo lugar de cada conferência. Assim, ficou mais difícil administrar o desgaste dos jogadores, que tiveram de batalhar até o fim da primeira fase, geralmente mais leve para os já classificados e os já eliminados.

"Foi um enorme erro", afirmou o dono dos Mavericks, Mark Cuban, cujo time ficou em quinto no Oeste. O Dallas evitou o "play-in" apenas no desempate, já que teve campanha igual à dos Lakers, mas foi uma das várias equipes que sofreram com problemas físicos.

"A pior parte do modelo adotado foi dobrar o estresse do calendário apertado. Em vez de jogar por uma vaga nos playoffs e descansar jogadores quando a classificação ficasse clara, os times tiveram que tratar cada jogo como um jogo decisivo para ficar entre os seis. Então, os atletas jogaram mais jogos e tiveram mais minutos em quadra em menos dias", afirmou Cuban.

O argumento, porém, é o mesmo usado por aqueles que veem o formato com bons olhos. Ao dar até o décimo colocado de cada conferência a chance de brigar pela classificação, a NBA minimizou um problema recorrente na parte derradeira da primeira fase: os times adotando formações reservas com o intuito de perder.

No sistema norte-americano, quanto pior a campanha da equipe, maiores as chances de ela ficar bem posicionada no "draft", o processo de seleção de calouros. Neste ano, no entanto, a reta final foi bem mais competitiva do que costuma ser e a audiência das partidas de abril na televisão subiu 25% em relação a março.

"Acreditamos que o formato ofereça mais benefícios do que desvantagens", disse o criador do "play-in", Evan Wasch. "Aumentamos significativamente o incentivo à competição. A ideia era dar a mais times e a mais torcedores a sensação de que eles estavam lutando por alguma coisa. Nesse sentido, foi um absoluto sucesso", acrescentou o vice-presidente de estratégias da NBA.

O sucesso poderá ser ampliado nos próximos dias, com duelos como LeBron x Curry. A disputa terá início nesta terça (18), com Indiana Pacers (9º do Leste) x Charlotte Hornets (10º do Leste), às 19h30 de Brasília, e Boston Celtics (7º do Leste) x Washington Wizards (8º do Leste), às 22h de Brasília. No Brasil, essas partidas serão exibidas pelo SporTV e pelo perfil da NBA no YouTube.

Como funciona o "play-in" O 7º colocado de cada conferência enfrenta, em casa, o 8º. O 9º recebe o 10º. O vencedor do confronto 7º x 8º avança aos "playoffs". O vencedor do embate 9º x 10º visita o derrotado da disputa 7º x 8º pela última vaga.

Os duelos do "play-in"

Conferência Leste

18/5, terça-feira
Indiana Pacers (9º) x Charlotte Hornets (10º), 19h30 (SporTV 2 e YouTube.com/NBABrasil)
Boston Celtics (7º) x Washington Wizards (8º), 22h (SporTV 2 e YouTube.com/NBABrasil)*

20/5, quinta-feira
Perdedor 7º vs. 8º x Vencedor 9º vs. 10º, 21h (SporTV 2 e YouTube.com/NBABrasil)*
*Jogo vale vaga nos "playoffs"

Conferência Oeste

19/5, quarta-feira
Memphis Grizzlies (9º) x San Antonio Spurs (10º), 20h30 (ESPN)
Los Angeles Lakers (7º) x Golden State Warriors (8º), 23h (ESPN)*

21/5, sexta-feira
Perdedor 7º vs. 8º x Vencedor 9º vs. 10º, horário indefinido (ESPN)*
*Jogo vale vaga nos "playoffs"

Como assinar o DAZN

O DAZN, maior serviço de streaming esportivo do mundo, apresenta o melhor das competições esportivas nacionais e internacionais por uma assinatura mensal pelo custo de R$ 19,90. Para quem já é assinante, basta acessar o site ou o app da plataforma. Para quem ainda não tem conta, o serviço disponibiliza 30 dias grátis, bastando clicar neste link para se cadastrar. Você pode acompanhar os eventos pelo computador, no celular, tablet ou até no console do videogame.

Veja também

Novo presidente do Sport será escolhido via eleições diretas
Futebol

Novo presidente do Sport será escolhido via eleições diretas

Tite promete novas mudanças no Brasil e critica gramado do Nilton Santos
Seleção Brasileira

Tite promete novas mudanças no Brasil e critica gramado do Nilton Santos