A-A+

Milton Mendes exalta reação coral e explica saída de Elias

De acordo com o treinador, atacante pediu para ser substituído por volta dos 30 minutos do primeiro tempo

Milton Mendes, técnico do Santa CruzMilton Mendes, técnico do Santa Cruz - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

O Santa Cruz tem bons motivos para comemorar o empate obtido diante do Globo/RN, na noite desta segunda-feira (17), no Rio Grande do Norte. Afinal, o Tricolor ficou boa parte do jogo atrás no placar e só conseguiu a igualdade nos minutos finais. Apesar de elogiar o poder de reação da equipe, o técnico Milton Mendes garante que o time tinha entrado para ganhar. O treinador também explicou a precoce substituição de Elias, ainda no primeiro tempo.

"Viemos para vencer. No último terço do campo nós não estávamos concluindo. Soltamos a equipe e rendemos melhor, só que sofremos dois gols. Mas a nossa reação mostra que esses jogadores estão se entregando muito", apontou. "Elias é um garoto que optei por ele com a saída do Misael (que se lesionou no aquecimento). Pensei várias coisas ao mesmo tempo, mas não queria mudar as características da equipe, mas tem que valorizar o menino. Ele chegou para mim e pediu para que eu tirasse", revelou.

Leia também:
No Santa Cruz, Pipico diz viver melhor fase da carreira
Eduardo e Jô rescindem contrato com o Santa Cruz
Volante Marcelo Mattos sente lesão e desfalca o Santa Cruz

O comandante coral também detalhou outras mudanças e ressaltou a importância de ficar nas primeiras posições. "Tínhamos a estratégia de deixar Dudu e Pipico mais à frente, deixando duas linhas de quatro. Mas a finalização não tava acontecendo e no segundo tempo aconteceu. O papel do treinador é corrigir", destacou. "Temos que acabar entre os quatro primeiros e depois subir. Lógico que os primeiros lugares nos dão a decisão em casa. O mais importante é saber que temos jogadores dispostos a fazer. Eles têm que tentar mesmo, porque cobro para isso", concluiu.

Veja também

O Santinha deu adeus à Série C merecidamente
Que Golaço!

O Santinha deu adeus à Série C merecidamente

Com recorde próprio, Patoruzú é tricampeão da Refeno
Refeno

Com recorde próprio, Patoruzú é tricampeão da Refeno