A-A+

Homofobia

Minas, clube de Maurício Souza, diz não aceitar manifestações homofóbicas

Maurício Souza soltou críticas ao novo Super-Homem, da DC Comics, que assume ser bissexual

Maurício Souza, jogador de VôleiMaurício Souza, jogador de Vôlei - Foto: Divulgação/FIVB

Leia também

• Vôlei: seleção feminina vence Chile e garante vaga no Mundial de 2022

• Vôlei de praia volta com velhos problemas após fiasco nas Olimpíadas

• Grupo do Brasil no Mundial de vôlei masculino é definido

O Minas Tênis Clube declarou que não aceita "manifestações homofóbicas". O time vinha sendo pressionado a se posicionar depois de seu jogador de vôlei Maurício Souza ter criticado o novo Super-Homem, da DC Comics, que assume ser bissexual.

O atleta, que também defende a seleção brasileira, publicou a imagem da personagem, filho do Super-Homem original, Clark Kent, dando um beijo em um amigo. E escreveu: "Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar".

Ele recebeu apoio de colegas, como Wallace e Sidão. Douglas Souza, por outro lado, que é abertamente homossexual, postou a mesma imagem, elogiando a DC Comics.

"Engraçado que eu não virei heterossexual vendo os super-heróis homens beijando mulheres. Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade pra sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo, sim. Obrigado, DC, por pensar em representar todos nós, não só uma parte", afirmou.

Maurício, então, fez nova postagem, mantendo sua posição.

"Hoje em dia, o certo é errado e o errado é certo... Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado, eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias ", publicou.

Agora, duas semanas depois, o Minas resolveu se pronunciar sobre o caso, que gerou forte repercussão nas redes sociais.

"O clube é apartidário, apolítico e preocupa-se com inclusão, diversidade e demais causas sociais. Não aceitamos manifestações homofóbicas, racistas ou qualquer manifestação que fira a lei", afirmou, em nota.

O clube disse estar ciente das postagens do atleta. Apontou que os jogadores têm liberdade para se expressar livremente, mas fez uma ressalva.

"A agremiação salienta que as opiniões do jogador não representam as crenças da instituição sociodesportiva. O Minas Tênis Clube pondera que já conversou com o atleta e tem orientado internamente sobre o assunto", conclui o Minas.

Mauricio Souza já foi acusado de LGBTQIA+fobia em outras ocasiões, e Douglas Souza saiu em defesa da comunidade após as declarações do colega.

Maurício é abertamente bolsonarista e já visitou o presidente no Palácio do Planalto. Já Douglas é abertamente de esquerda e crítico a Jair Bolsonaro.

Veja também

Tragédia com avião da Chapecoense completa cinco anos em meio a dor e espera por indenização
Acidente aéreo

Tragédia com avião da Chapecoense completa cinco anos em meio a dor e espera por indenização

Filhos de Cléber Santana seguem passos do pai e sonham com homenagem
Futebol

Filhos de Cléber Santana seguem passos do pai e sonham com homenagem