MP espanhol quer processar Neymar por corrupção na sua transferência

Além do atleta, serão processados o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rossell, o pai do atleta e os dois clubes (Santos e Barcelona)

Meu Ex É um EspiãoMeu Ex É um Espião - Foto: Internet / Reprodução

O Ministério Público espanhol pediu nesta sexta-feira para que o juiz José de la Mata processe Neymar, seu pai e as demais partes envolvidas na transferência do craque do Santos ao Barcelona, por supostos delitos de corrupção e fraude que teriam prejudicado o fundo DIS. Além do atacante e seu pai, o MP também pediu para processar o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rossell, assim como os dois clubes. Desta forma, o juiz, que chegou a arquivar o caso, terá que reabrir o processo.

De acordo com o MP, não foram respeitadas "as normas essenciais do procedimento", por não ter aplicado corretamente a ordem da Audiência Nacional, principal instância penal espanhola. Foi a Audiência Nacional que pediu para reabrir o processo, no dia 23 de setembro.

O fundo de investimento DIS, do grupo Sonda, era dono de 40% dos direitos econômicos de Neymar no momento da transferência, em 2013, e se considera lesado na operação, pelo fator de o valor da transação ter sido avaliado abaixo do montante real. Em um primeiro momento, o Barça avaliou a transação em 57,1 milhões de euros, 50 para a família de Neymar e 17,1 para o Santos, mas a justiça brasileira calcula que o valor real foi de ao menos 83,3 milhões. O fundo DIS recebeu apenas sua percentagem dos 17,1 milhões recebidos pelo Santos (6,8 mi), por isso se considera duplamente prejudicado.

Além de considerar que não recebeu sua parte do custo real da operação e por causa do contrato de exclusividade assinado pelo Barça com a família de Neymar em 2011, impedindo um 'leilão' com outros clubes, que poderia ter aumentado esse valor.

Veja também

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius
Futebol

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'
Manifestação

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'