Na Liga das Nações, Brasil tira os 100% da Turquia

Seleção de José Roberto Guimarães fez 3x1 na até então invicta Turquia, nesta terça (22), pela Liga das Nações

Ponteira pernambucana Amanda em ação pela seleção brasileiraPonteira pernambucana Amanda em ação pela seleção brasileira - Foto: Divulgação/FIVB

Na abertura da segunda semana de jogos da Liga das Nações, o Brasil derrotou a Turquia, nesta terça-feira (22), em Ancara, por 3 sets a 1, com parciais de 25/17, 25/19, 23/25 e 25/21. Assim, tirou a invencibilidade das adversárias, que haviam vencido os três primeiros confrontos do certame e estavam com 100% de aproveitamento. A Holanda segue como a única invita da Liga das Nações.

Agora, a equipe nacional é quinta colocada, com nove pontos, frutos de três vitórias - contra Japão, Sérvia e Turquia - e uma derrota - contra a Alemanha. Nesta quarta (23), às 8h, a seleção volta à quadra pela Liga das Nações para enfrentar a Argentina. E, na quinta (24), encerra a semana contra a República Dominicana. Teoricamente, o confronto mais complicado da equipe nesta segunda fase de jogos era justamente contra a Turquia. 

Jogo 

No primeiro set, o saque forçado do Brasil ajudou a encaminhar a vitória. Com o passe quebrado, a Turquia perdeu um pouco da força ofensiva, facilitando o trabalho do bloqueio e do sistema de contra-ataque nacional. Na parcial seguinte, o Brasil manteve o saque forte e começou melhor, chegando a abrir seis pontos de vantagem. 

A diferença, no entanto, começou a ruir após mudanças que surtiram efeito no lado turco, como a entrada da ponteira Baladin. As donas da casa reagiram, com bloqueios sucessivos e caçando Drussyla, que cometeu alguns erros no passe, e chegaram a empatar o placar em 18/18. Foi quando Drussyla comandou a arrancada para garantir a vitória no set, marcando seis pontos, quatro deles em sequência.

Leia também:
Liga das Nações: Brasil encara a Turquia nesta terça
Brasil vira e faz 3x1 na Sérvia pela Liga das Nações
Seleção feminina vence primeira na Liga das Nações de vôlei
Seleção feminina estreia com derrota na Liga das Nações

No terceiro set, foi a vez de José Roberto Guimarães usar suas opções no banco. Após um início arrasador das turcas, que abriram 8/3 e impuseram pressão no bloqueio, o técnico brasileiro antecipou a inversão e colocou Macris e Monique nas vagas de Roberta e Tandara. A mexida surtiu efeito, com quatro pontos em sequência e o empate em 10/10 em uma bola de segunda de Macris. O Brasil cresceu, principalmente na defesa, e virou a parcial para 13/11.

Sem baixar a cabeça, contando com o apoio da torcida, as turcas voltaram a assumir a liderança na reta final do set, virando para 19/17. José Roberto Guimarães voltou com a formação titular, o Brasil igualou em 19/19 e deixou o desfecho da parcial emocionante. A Turquia chegou a abrir 24/21, o Brasil teve a bola do empate, mas Tandara atacou para fora e adversárias fecharam em 25/23. 

O quarto set começou equilibrado, com as equipes trocando pontos, sem ninguém se distanciar. O Brasil conseguiu se desgarrar na metade da parcial, quando abriu 16/11, mas viu as turcas encostarem em 20/18. Ainda assim, as meninas de José Roberto Guimarães conseguiram ser mais sólidas e fecharam a parcial em 25/21 e a partida em 3x1. 

Liga das Nações:

1ª semana:
Barueri (SP)

15.05 – Brasil 1 x 3 Alemanha (25/15, 22/25, 18/25 e 20/25)
16.05 – Brasil 3 x 1 Japão (22/25, 25/18, 25/23 e 25/11)
17.05 – Brasil 3 x 1 Sérvia (23/25, 25/22, 25/14 e 25/21)

2ª semana:
Ancara (Turquia)

22.05 – Brasil 3x1 Turquia (25/17, 25/19, 23/25 e 25/21)
23.05 – Brasil x Argentina, às 8h (horário de Brasília) – SporTV 2
24.05 – Brasil x República Dominicana, às 8h (horário de Brasília) – SporTV 2


 

Veja também

Fifa avisa sobre 'consequências' aos clubes da Superliga europeia
Futebol

Fifa avisa sobre 'consequências' aos clubes da Superliga europeia

Superliga é ápice da revolução dos bilionários estrangeiros no futebol europeu
Futebol

Superliga é ápice da revolução dos bilionários estrangeiros no futebol europeu