A-A+

Najila entregou novo celular à polícia na terça (19)

A modelo, que acusou Neymar de estupro, concedeu o aparelho de forma espontânea para a perícia

Najila Trindade, mulher que acusa Neymar de estuproNajila Trindade, mulher que acusa Neymar de estupro - Foto: Reprodução

Najila Trindade entregou um celular à Polícia Civil ao comparecer na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher na última terça-feira (19). A modelo que acusa Neymar de estupro deixou o aparelho, que não é o mesmo que continha o vídeo com registro do encontro com o jogador, de forma espontânea para perícia. De acordo com o advogado dela, Cosme Araújo, o resultado deve demorar até oito dias.

Ele alega que Najila não tem mais o celular antigo e trocou de telefone. A modelo conseguiu manter o mesmo número e a polícia deve tentar recuperar os dados e arquivos perdidos, segundo Cosme Araújo.

Leia também:
Novo advogado diz que Najila não está com celular e autoriza buscas
Mulher que acusa Neymar volta a depor na delegacia

O representante da modelo afirma ainda que ela não tem acesso ao celular desde o dia 7 de junho, quando prestou depoimento na delegacia de defesa da mulher, e que teria deixado o aparelho no carro do ex-advogado ou na casa onde ficou hospedada. Danilo Garcia de Andrade, no entanto, afirmou que o celular nunca esteve em sua mão.

O celular teria um vídeo de 7 minutos do segundo encontro entre Najila e Neymar. Apenas um minuto das imagens foram divulgadas e Najila aparece batendo no jogador. O aparelho também teria as trocas de mensagens entre a modelo e o jogador e entre Najila e uma amiga.

O atual advogado Cosme Araújo, no entanto, ressalta que o vídeo não é relevante para a investigação. Em sua visão, o arquivo "não tem muita coisa além do que já foi mostrado.

Acareação
No fim da tarde desta quarta-feira, Cosme Araújo formalizou um pedido de acareação entre sua cliente e Neymar à delegada Juliana Lopes Bussacos, que coordena a investigação. Ele disse que a autoridade policial recebeu o pedido, mas não sinalizou se irá acatá-lo. Cosme Araújo afirma que o confronto poderia ser feito por meio de videoconferência.

O procedimento é previsto no código penal, mas não é comum em casos de crimes sexuais justamente para não causar constrangimentos à suposta vítima e não colocá-la frente a frente com seu agressor. No entanto, o advogado acredita que pode ser útil para esclarecer melhor os fatos. "Olho no olho é mais fácil saber quem está mentindo", disse.

Veja também

Conselheiros do Santa pedem assembleia para solicitar impeachment de Joaquim Bezerra
Futebol

Conselheiros do Santa pedem assembleia para solicitar impeachment de Joaquim Bezerra

Sport anuncia rescisão contratual de Thiago Neves
Futebol

Sport anuncia rescisão contratual de Thiago Neves