Náutico busca maior valorização da marca no mercado

Segundo levantamento feito pela empresa de consultoria e auditoria BDO, Timbu é o 28º clube mais valioso do Brasil

Estádio dos Aflitos voltou a ser a casa do NáuticoEstádio dos Aflitos voltou a ser a casa do Náutico - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O regresso do Náutico aos Aflitos foi um daqueles momentos em que se permite uma licença poética no futebol para romantizar um retorno que vai além do mando de campo para o clube. A festa no último domingo no reencontro de torcida e estádio ficará guardada na memória dos alvirrubros, mas é preciso sempre relembrar: futebol também é negócio. A volta para casa em 2019 é a principal arma do Timbu para alavancar a valorização da marca.

Segundo levantamento da empresa de consultoria e auditoria BDO, o Náutico tem a 28ª marca mais valiosa entre os clubes brasileiros, valendo R$ 25,1 milhões - dados até 2017. A pesquisa levou em consideração torcida (perfil e hábito dos consumidores), mercado (onde o clube está inserido), marketing esportivo, engajamento nas redes sociais e receita (sócios, patrocínios, bilheteria, etc). Os patrimônios dos clubes não são considerados nos cálculos, assim como verbas de vendas de jogadores.

Quando deixou os Aflitos e foi atuar na Arena, em 2013, o Náutico tinha valor de mercado de R$ 38 milhões, ocupando a 20ª posição no ranking dos mais valiosos. O longo tempo sem um patrocinador master, a baixa média de público e os rebaixamentos pesaram na queda dos números. Atualmente, os alvirrubros estão uma posição acima do Santa Cruz (29º, com R$ 21,5 milhões) e bem longe do Sport (15º, com R$ 118,9 milhões).

A valorização no mercado pode ser atingida de várias formas. Uma delas já está em execução no Náutico. O clube lançou uma campanha de sócios para aumentar o quadro de arrecadação mensal. Até final de novembro, menos de dois mil alvirrubros estavam associados. Após o novo programa, já são aproximadamente oito mil. Além disso, o clube fechou com um patrocinador master para 2019, o Real Hospital Português.

O Náutico estuda ainda lançar uma marca própria de material esportivo. No amistoso de reabertura dos Aflitos, diante do Newell’s Old Boys, o clube utilizou dois modelos de padrões produzidos de forma independente. A ideia da diretoria é lançar oficialmente a coleção própria em abril, com o título de “N6”. Alguns clubes brasileiros já seguem o mesmo modelo, casos de Santa Cruz (Cobra Coral), Central (Patativa), Salgueiro (Carcará), Treze (Areno), Coritiba (1909), Juventude (19Treze), CSA (Azulão), Sampaio Corrêa (Tubarão), Paysandu (Lobo), Joinville (Octo), Fortaleza (Leão 1918) e Bahia (Esquadrão).

Leia também:
Técnico do Náutico avalia estreia de reforços em amistoso
Márcio Goiano exalta chegada de Jorge Henrique ao Náutico

Veja também

Uefa envia mensagem equivocada ao proibir cores do arco-íris em estádio, alerta ministro alemão
arco-íris

Uefa envia mensagem equivocada ao proibir cores do arco-íris em estádio, alerta ministro alemão

Novo presidente do Sport será escolhido via eleições diretas
Futebol

Novo presidente do Sport será escolhido via eleições diretas