A-A+

Náutico colhe frutos da boa administração

Mesmo sem o objetivo do ano alcançado, renovações importantes provaram que a imagem do Náutico não saiu arranhada

Santa Cruz estaria em contato com Wallace Pernambucano para a próxima temporadaSanta Cruz estaria em contato com Wallace Pernambucano para a próxima temporada - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Há pouco mais de uma semana, o Náutico vivia o luto de um sonho frustrado. O empate em 1x1 na Arena de Pernambuco, diante do Bragantino, pelo duelo da volta das quartas de final da Série C, acabou com as chances alvirrubras de conseguir o acesso à Série B. Mas o tempo de lamentação foi curtíssimo. Em nove dias, o clube mostrou que o bom trabalho administrativo construído em 2018, mesmo sem o maior objetivo alcançado, rendeu bons frutos. Renovações importantes provaram que a imagem do Timbu não saiu arranhada. Um cenário bem diferente do passado.

O Náutico sempre teve fama de mau pagador. Atrasos salariais e débitos trabalhistas eram entraves nas negociações. Com a política de austeridade financeira, porém, o Timbu passou a sofrer menos nas tratativas. "Antes o jogador pensava duas vezes antes de querer ficar no Náutico, mas agora é diferente. Muitos querem ficar, mesmo com outras boas propostas", disse um empresário que não quis se identificar.

O efeito disso foram as renovações de peças importantes da base, como o zagueiro Sueliton, o lateral-esquerdo Assis, os volantes Josa e Jhonnatan, além do meia Wallace Pernambucano. O único que o Náutico tentou segurar e não conseguiu foi o centroavante Ortigoza, que assinou com o Paraná. Além dos citados, o clube pernambucano tem vínculo com pratas da casa que foram fundamentais em 2019, como o goleiro Bruno, o volante Luiz Henrique e o atacante Robinho. Os volantes Jiménez e Jobson são outros que possuem contrato até 2019.

O Náutico também tem servido de vitrine para clubes das séries A e B nessa reta final do ano. Além do tricolor paranaense, que levou o artilheiro alvirrubro de 2018, com 13 gols, outros clubes também valorizaram peças do time. Jhonnatan foi emprestado ao CSA e Wallace Pernambucano seguiu para o Brasil de Pelotas/RS, ambos até o final do ano. O Goiás levou por empréstimo o atacante Robinho - podendo comprar 50% dos direitos econômicos do atleta por R$ 3,5 milhões -, enquanto o Bahia acertou, também até o término de 2018, a transferência por empréstimo de Luiz Henrique. Se quiser permanecer com o jogador por mais tempo, o time baiano poderá comprar 60% dos direitos econômicos.

Em contrapartida, alguns nomes já deixaram o Timbu, como Luiz Carlos (goleiro); Bryan, Tiago Costa e Thiago Ennes ( laterais); Camacho e Breno (zagueiro); Regis Potiguar e Negretti (volantes); Júnior Timbó e Junior Lemos (meias). Sem calendário oficial até 2019, o Timbu colocou alguns atletas da base na Série A2 do Campeonato Pernambucano, a exemplo do lateral-esquerdo Kevyn, o volante Willian Gaúcho e o atacante Tharcysio.

Leia também:
Náutico empresta Jhonnatan ao CSA
Náutico propõe mudança no regulamento da Série C
Robinho acerta por empréstimo com o Goiás

Veja também

Refeno retorna como evento-teste para resto de 2021
Vela

Refeno retorna como evento-teste para resto de 2021

Jailson deixa Santa e acerta com o Náutico
Futebol

Jailson deixa Santa e acerta com o Náutico