Futebol

Náutico consegue gol no fim e fica no empate com o CSA

Resultado de 1x1 não foi o que a torcida esperava, mas ao menos evitou que o Timbu ficasse na zona de rebaixamento da Série B

Lance de Náutico 1x1 CSALance de Náutico 1x1 CSA - Foto: Tiago Caldas/CNC

Poderia ter sido melhor, mas, ao menos, o Náutico poupou o torcedor de não ver o clube entrar na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro. Diante do CSA, nesta quinta (19), nos Aflitos, o Timbu ficou no 1x1 com o CSA. O resultado deixou os pernambucanos na 13ª posição, com oito pontos. 

E se Lucão não salva em cima da linha aquele chute de Jean Carlos, depois de o meia driblar o goleiro e ficar com a meta aberta? Se Carné não tivesse feito aquelas defesas nos chutes de Luis Phelipe e Bryan? Ou, melhor, se Giva Santos, mesmo cercado de defensores alvirrubros, não tivesse conseguido finalizar ao gol? Muitos “se”. Mas futebol não tem isso. Na prática, o CSA saiu com a vantagem no intervalo ao aproveitar um vacilo na zaga alvirrubra. O Timbu, que só melhorou depois de tomar o gol, empilhou chances perdidas que poderiam ter gerado o empate antes do intervalo.

Houve outro “se” no jogo. E se quem estivesse indo ao estádio ficasse preocupado apenas em torcer? Infelizmente, não foi o caso de parte da torcida visitante do CSA, que só entrou nos Aflitos depois dos 30 minutos da etapa inicial. Antes, um grupo arremessou pedras em direção aos torcedores do Náutico. Alguns relatos dão conta que o ato teve participação também de uma organizada do Santa Cruz. 

Quando a fase não é boa, nem o VAR contribui. Lourenço, do CSA, deu chutão e acertou o rosto do jogador do Náutico. Expulso? Nem Edna, tampouco o árbitro de vídeo marcaram algo. Enquanto isso, o Timbu voltou modificado, com Pedro Vítor e Leandro Carvalho para aumentar a velocidade no ataque. Foi outra alteração, todavia, que garantiu o gol pernambucano. 

Quando o CSA começou a focar mais na "cera" do que em tentar matar o jogo, o Náutico conseguiu o gol. Leandro Carvalho cobrou escanteio e Victor Ferraz, de cabeça, deu esperança aos alvirrubros, no momento que o cronômetro marcava 39 minutos. A partida foi até os 50, mas a história não mudou. Mais um jogo em casa, mais uma partida sem vitória do Timbu.
 

Ficha técnica

Náutico 1

Lucas Perri; Bryan (Victor Ferraz), Camutanga, Bruno Bispo e Ailton; Rhaldney, Ralph (Richard Franco) e Jean Carlos; Niltinho (Pedro Vítor), Luis Phelipe (Leandro Carvalho) e Léo Passos (Amarildo). Técnico: Roberto Fernandes

CSA 1

Marcelo Carné; Lucas Marques, Wellington, Lucão e Diego Renan; Giva, Gabriel (Lucas Barcelos) e Lourenço (Luiz Henrique); Didira (Felipe Augusto), Marco Túlio (Dalberto) e Rodrigo Rodrigues (Bruno Mota). Técnico: Mozart

Local: Aflitos (Recife/PE)
Árbitro: Edina Alves Batista. Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Fabrini Bevilaqua Costa (SP)
Gols: Giva Santos (aos 24 do 1ºT), Victor Ferrraz (aos 39 do 2ºT) 
Cartões amarelos: Marco Túllio, Carné, Lucão (C); Bryan, Richard Franco (N)
Público: 4.141 torcedores
Renda: R$ 56.732,00

Veja também

Kieza é exceção: Souza tem mais gols nos últimos dois anos do que quase todos atacantes do Náutico
Futebol

Kieza é exceção: Souza tem mais gols nos últimos dois anos do que quase todos atacantes do Náutico

"É jogo a jogo", diz Jefferson sobre sequência do Santa Cruz na briga pela classificação
Futebol

"É jogo a jogo", diz Jefferson sobre sequência do Santa Cruz na briga pela classificação