Náutico e Sport duelam pela partida de ida da final do Pernambucano

Timbu ostenta invencibilidade de 18 jogos, enquanto o Leão vem com uma sequência de cinco vitórias seguidas

Alvirrubros e rubro-negros se enfrentaram em janeiroAlvirrubros e rubro-negros se enfrentaram em janeiro - Foto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha

O último título em que o Náutico ganhou diante do Sport foi em 1968. Desde 1975, os rubro-negros têm vencido todas as decisões perante os alvirrubros. Tudo isso é passado. O Timbu é o atual campeão pernambucano, carrega 19 jogos de invencibilidade em 2019, sendo nove deles no torneio. O Leão vem de cinco vitórias seguidas, com média acima de três gols por jogo nesse período. Isso é o presente. Neste domingo, às 16h, nos Aflitos, os clubes duelarão pela primeira partida que vale o troféu do Estadual. O jogo da volta será no dia 21, na Ilha do Retiro. Quem levar a melhor nos 180 minutos sairá com a glória. Isso é o futuro, tempo com desfecho desconhecido e que começa a ser revelado assim que a bola rolar na final. Um Clássico dos Clássicos com rivalidade atemporal.

Retorno, ausência e indefinição. Tudo ao mesmo tempo. Sem revelar a escalação alvirrubra, o técnico Márcio Goiano deu algumas pistas do possível time titular. Duas situações estão confirmadas. Primeiro, a volta do atacante Robinho. Recuperado de uma lesão no joelho direito que o tirou dos gramados nos dois confrontos passados, perante Afogados e Ceará, o prata da casa está à disposição do treinador. Com isso, Jorge Henrique deve ficar no banco de reservas. Em compensação, o zagueiro Sueliton não se recuperou totalmente de um edema ósseo no joelho esquerdo e desfalca o Timbu. Diego Silva e Camutanga formarão a dupla de zaga. No meio-campo, a equipe pode ter a entrada de Maylson na vaga de Danilo Pires. Outra possibilidade é a volta de Wallace Pernambucano, artilheiro de 2019, com oito gols, ao posto de centroavante. A briga pela posição é com Odilávio.

No clássico, o Náutico também terá vários jogadores que nunca participaram de uma decisão de Estadual. Casos do lateral-direito Hereda e do atacante Thiago, que subiram recentemente ao profissional. Dupla que tem a confiança do técnico para o Clássico dos Clássicos. “Eles entraram em momentos importantes, tiveram a responsabilidade de enfrentar grandes equipes e conseguiram os resultados, com personalidade e atitude”, apontou.

Na Ilha do Retiro, juventude e experiência andam lado a lado, como é o caso do quarteto mortal do ataque. De um lado, Ezequiel, 21 anos, e Guilherme, 23 anos. Na ala dos mais "cascudos", Hernane Brocador, 33 anos, e Luan, 30 anos. Para o treinador Guto Ferreira, quem entender que a decisão não é apenas num jogo único terá maior chance de levantar a taça. Fazendo mistério sobre a escalação, o comandante leonino também não quis dar detalhes sobre o que estudou do adversário. "O Náutico vive um bom momento. Eles sabem o que temos de forte e nós sabemos o que eles tem também", limitou-se a dizer Guto Ferreira.

Segurança

A Polícia Militar de Pernambuco lançará um efetivo de 490 profissionais que atuarão na segurança dos torcedores no Clássico dos Clássicos. Serão 156 PMs na área interna e 334 na externa.

Leia também:
Dirigente revela sondagens por pratas da casa do Náutico
Goiano confirma retorno de Robinho e cita uma dúvida para o clássico
Por chuvas, Sport cancela treino que seria aberto à torcida
Estrategista, Guto esconde jogo no Sport. Confira trechos

Veja também

Sport anuncia saída do executivo de futebol Lucas Drubscky
Sport

Sport anuncia saída do executivo de futebol Lucas Drubscky

Pai do ex-jogador Durval morre de Covid-19
Sport

Pai do ex-jogador Durval morre de Covid-19