Náutico e Sport embalados pela massa

Apoio do torcedor será fundamental para que Náutico e Sport alcancem seus objetivos nesta reta final de Brasileiro

melanie martinezmelanie martinez - Foto: Reprodução/Instagram

O jornalista e escritor pernambucano Nelson Rodrigues disse certa vez que "no futebol, o pior cego é aquele que só enxerga a bola". Um olhar mais apurado sobre as nuances faz o esporte virar espetáculo. O gol se torna uma poesia e a torcida ganha a forma de uma plateia que ri, chora e vibra junto com os protagonistas da festa. Pernambucano radicado no Rio de Janeiro, Nelson costumava escrever acerca do futebol carioca - principalmente sobre o Fluminense. Mas, se ainda estivesse vivo, o cronista provavelmente ficaria feliz em detalhar da maneira minuciosa que só ele sabia fazer o sentimento de rubro-negros e alvirrubros neste último fim de semana. Náutico e Sport venceram de forma suada seus respectivos jogos. Ambos com uma emoção aparentemente “rodriguiana”. Triunfos embalados por torcidas apaixonadas que estiveram em ótimo número na Arena de Pernambuco e na Ilha do Retiro. E que serão fundamentais nesta reta final de temporada.

"O torcedor parece um pobre-diabo, indefeso e desarmado. Ilusão. Na verdade, a torcida pode salvar ou liquidar um time. É o craque que lida com a bola e a chuta. Mas acreditem: - o torcedor está por trás, dispondo". Para ratificar essa tese de Nelson, mais de 25 mil pessoas foram no último sábado empurrar o Náutico contra o Ceará, na Arena.

Pedindo licença ao escritor, é preciso destacar um ponto e ser o que ele chamava de “o idiota da objetividade” - alguém que usa de números e estatísticas para explicar um cenário. Algumas rodadas atrás, a média de público do Náutico era abaixo dos quatro mil torcedores por jogo. Agora, pulou para mais de 17 mil. Diante dos cearenses, o Timbu colocou o maior público do estádio de São Lourenço da Mata em 2016. Os mandantes venceram por 1x0. Detalhe: com gol marcado no último minuto. "Depois que o jogo passou dos 30 minutos do segundo tempo, alguém já podia vaiar. Mas isso não foi feito", disse o técnico Givanildo Oliveira.

Enquanto os alvirrubros seguem eufóricos com a possibilidade de o time retornar à elite do futebol nacional, os rubro-negros foram à Ilha do Retiro para endossar o coro dos apaixonados que não pretendem ver o Sport de volta à Série B. Na briga contra a queda no Brasileirão, 24.138 torcedores estiveram no estádio para assistir ao duelo do time pernambucano diante do Vitória. Com dois pênaltis desperdiçados pelo adversário - um na trave e outro defendido por Magrão -, os mandantes venceram por 1x0 e respiraram mais aliviados na tabela, abrindo dois pontos de diferença para a zona de rebaixamento.

"Queria agradecer a presença da torcida. Com o resgate dessa magia, vamos conseguir tirar o Sport dessa situação”, afirmou. “A nossa chegada ao estádio dentro do ônibus foi incrível. A festa mexeu com os jogadores", completou o treinador. Foi o segundo maior público da equipe no Nacional, perdendo apenas para o confronto contra o Palmeiras, que reuniu 24.968 torcedores. A média de torcedores do Leão na competição agora é de pouco mais de 11 mil.

Veja também

Velejadores disputam XXI Campeonato Pernambucano de Dingue em Maria Farinha
Vela

Velejadores disputam XXI Campeonato Pernambucano de Dingue em Maria Farinha

Você não é o Zlatan, diz Ibrahimovic em campanha de combate à Covid-19
Coronavírus

Você não é o Zlatan, diz Ibrahimovic em campanha de combate à Covid-19