Náutico e Sport ficam no 1x1 pelo Pernambucano

Os dois gols da partida foram contra e o primeiro Clássico dos Clássicos de 2020, nos Aflitos, terminou sem vitorioso

Lances de Náutico x SportLances de Náutico x Sport - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Dois gols contra, um para cada lado, e nada de vencedor. Assim foi o primeiro Clássico dos Clássicos de 2020. Nos Aflitos, o Sport saiu na frente, mas, após expulsão de Sander, sofreu o gol de empate e precisou segurar até o fim o resultado de 1x1, em jogo válido pela primeira rodada do Campeonato Pernambucano.

Era “apenas” o primeiro jogo do Campeonato Pernambucano. Mas era um Clássico dos Clássicos. Abrir o calendário com um duelo cheio de rivalidade foi o suficiente para elevar os ânimos de alvirrubros e rubro-negros. O primeiro tempo nos Aflitos foi truncado, com muitas investidas pelo alto e alguns erros típicos de falta de entrosamento – comum em início de temporada.

Com seus principais reforços no banco (Ronaldo Alves, Erick e Kieza), o Náutico entrou com o mesmo time dos últimos amistosos. O técnico Gilmar Dal Pozzo esteve ainda mais agitado no banco de reservas, chegando até a discutir com o comandante rubro-negro, Guto Ferreira.

Sem poder escalar quase duas dezenas de atletas por conta de um problema jurídico, o Sport apostou na disposição da garotada da base. O fôlego estava em dia, mas faltava inspiração. O lance que resume o quão fraco foi o primeiro tempo do clássico é o que originou o gol dos visitantes. Pardal cobrou escanteio fechado, a bola esbarrou em Salatiel e terminou no fundo das redes. Gol contra para deixar o Leão na vantagem.

O gol teve uma função importante: “abrir” o jogo. O Náutico avançou a marcação para buscar o empate. O Sport tinha o cronômetro a favor e procurava as costas dos laterais para tentar ampliar o marcador. No duelo das táticas, a dos alvirrubros estava surtindo mais efeito. Salatiel sofreu falta de Sander na entrada da área. O lateral-esquerdo do Sport levou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Ter um gol contra em um clássico já é algo incomum. Imagine dois. Após falta cobrada na área, Chico, de mão, empurrou para as redes e deixou tudo igual nos Aflitos. Daí por diante, o Náutico se lançou atrás do gol da vitória. A entrada de Erick na vaga de Rhaldney deixou a equipe ainda mais ofensiva. Lá atrás, um susto: Adryelson marcou de cabeça, mas o bandeira anulou o gol.

Com um a mais e empurrado pela torcida, o Náutico lutou até o fim pelo gol da vitória, mas o mais próximo que chegou foi acertar o lado de fora das redes – duas vezes com Jean Carlos. O primeiro Clássico dos Clássicos de 2020 terminou empatado.

Ficha técnica

Náutico 1

Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro (Diego), Fernando Lombardi e Willian Simões; Josa, Rhaldney (Erick) e Jean Carlos; Matheus Carvalho, Álvaro (Jorge Henrique) e Salatiel. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Sport 1

Mailson; Ewerthon, Chico, Adryelson e Sander; William Farias, Alessandro (Pedro Maranhão) e Pablo Pardal; Vicente (Cleberson), Elton e Juninho (Ronaldo). Técnico: Guto Ferreira

Local: Estádio dos Aflitos (Recife/PE)
Árbitro: Michelangelo Almeida Júnior. Assistentes: Clóvis Amaral e Marcelino de Castro.
Gols: Salatiel (contra, aos 45 do 1ºT), Chico (contra, aos 17 do 2ºT)
Cartões amarelos: Rhaldney, Lombardi (N); Sander, Ronaldo (S)
Cartão vermelho: Sander (S)
Renda: R$ 135.180,00
Público: 7.270

Leia também:
Náutico e Sport duelam no primeiro clássico do PE 2020
Liverpool vence clássico e fica perto do titulo


Veja também

Santa prolonga contrato de trio para jogo contra o Itabaiana
Futebol

Santa prolonga contrato de trio para jogo contra o Itabaiana

Barça vence Rayo Vallecano de virada e vai às quartas da Copa do Rei
Futebol

Barça vence Rayo Vallecano de virada e vai às quartas da Copa do Rei