Futebol

Náutico encara CSA mirando reação na Série B

Apenas um clube conseguiu acesso à Série A após somar menos de 20 pontos nas 17 primeiras rodadas da competição

Rhaldney, volante do NáuticoRhaldney, volante do Náutico - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Foco no Avaí. Você não leu errado. É certo que o duelo perante os catarinenses será apenas no dia 6 de novembro, na abertura do segundo turno da Série B do Campeonato Brasileiro 2020. Mas não é esse Avaí que serve de inspiração aos alvirrubros, mas sim o de 2016, protagonista de uma reação surpreendente na competição. Algo que os pernambucanos precisam repetir para sair da luta contra o rebaixamento e voltar a sonhar com o G4. Para seguir o mesmo caminho do Leão no passado, o Timbu precisa engatar uma sequência positiva. Oportunidade que pode surgir neste sábado (31), perante o CSA, no Rei Pelé.

Primeiro, é preciso explicar o motivo da analogia. Há quatro anos, o Avaí, após 17 jogos na Série B, tinha 20 pontos - um a mais que os pernambucanos no mesmo recorte deste ano. Também estavam lutando contra a degola, na 15ª posição. Nos 31 jogos seguintes, os catarinenses somaram mais 46 pontos de 93 possíveis - aproveitamento de 49,4%. O clube terminou na vice-liderança, com 66, atrás apenas do campeão, o Atlético/GO, com 76.

O Náutico vem de dois confrontos sem derrotas, mas ainda é pouco para chamar de reação. Principalmente por conta do empate em 1x1 diante do Cruzeiro, nos Aflitos, com um gol sofrido nos minutos finais. O Timbu não vence como mandante há quatro jogos. Diante do CSA, 8º, com 25, a equipe novamente terá Juninho Lola no banco de reservas, já que Gilson Kleina segue afastado após testar positivo para a Covid-19.

Outros dois desfalques, desta vez por suspensão, são o zagueiro Camutanga e o meia Jorge Henrique. Na defesa, Ronaldo Alves pode ser escalado para atuar ao lado de Carlão. No meio, o Náutico tem a opção de Erick, que substituiu Jorge no decorrer do jogo contra a Raposa, ou Marcos Vinícius. Em compensação, o lateral-esquerdo Willian Simões volta ao time após cumprir suspensão automática na rodada anterior.

CSA

Não é somente o Náutico que terá desfalques para o jogo. O volante Geovane, do CSA, recebeu o terceiro cartão amarelo e está suspenso do jogo. Yago deve ser escalado em sua vaga. No ataque, Andrigo iniciou trabalho de transição e pode ficar à disposição do técnico Mozart. Os alagoanos possuem uma lista grande de pendurados. São eles: Matheus Mendes, Luciano Castán, Cléberson, Marquinhos, Pedro Lucas, Paulo Sérgio, Rone e Allano.

 

Ficha técnica

CSA
 
Matheus Mendes; Norberto, Ignácio, Luciano Castán e Diego Renan; Marquinhos, Yago e Nadson; Allano, Paulo Sérgio e Rodrigo Pimpão. Técnico: Mozart.
 
Náutico
 
Jefferson; Hereda, Ronaldo Alves, Carlão e Willian Simões; Rhaldney, Jhonnatan, Marcos Vinícius (Erick) e Jean Carlos; Vinícius e Kieza. Técnico interino: Juninho Lola
 
Local: Rei Pelé (Maceió/AL)
Horário: 21h
Árbitro: José Mendonça da Silva Junior (PR). Assistentes: Luciano Roggenbaum e Jefferson Cleiton Piva da Silva (ambos do PR)
Transmissão: Premiere FC

Veja também

Na imaginação: o dia em que Pelé "contratou" Maradona para o Santos
Luto

Na imaginação: o dia em que Pelé "contratou" Maradona para o Santos

Após atuar 90 minutos, William Alves explica recuperação da Covid-19 e cita readaptação
Santa Cruz

Após atuar 90 minutos, William Alves explica recuperação da Covid-19 e cita readaptação