Náutico mantém silêncio sobre dinheiro da venda de Erick

Diógenes não negou nem confirmou que o clube recebeu valor da negociação do atacante ao Braga/POR

Erick marcou nove gols pelo clubeErick marcou nove gols pelo clube - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Não negou, tampouco confirmou. A diretoria do Náutico optou pelo silêncio sobre as notícias envolvendo o recebimento do valor da venda de Erick para o Braga, de Portugal, acertada em agosto do ano passado. O clube europeu admite que transferiu parte da quantia total (pouco mais de R$ 1 milhão). Os alvirrubros, por outro lado, evitam citar o assunto.

“Esse é um assunto jurídico do clube e não vai ser tratado abertamente. Os problemas de bloqueio surgiram devido a se falar sobre as transações. Estamos lidando com crédito, débito e bloqueio”, afirmou o vice-presidente do clube, Diógenes Braga.

A situação envolvendo a venda de Erick está a cargo do vice-presidente do Conselho Deliberativo do clube, Ivan Pinto da Rocha. Procurado pela reportagem da Folha de Pernambuco, Rocha indicou que não gostaria de falar sobre o assunto.

Alívio

Bastante emocionado após a classificação do Náutico à próxima fase da Copa do Brasil, no empate em 1x1 com o Cordino/MA, no Castelão, Diógenes não escondeu que uma eliminação precoce prejudicaria todo o planejamento do clube para 2018.
“Se tivéssemos perdido a classificação, seria uma frustração grande. A importância era grande por conta de todo o projeto. Tivemos muitos jogadores sem condições de entrar em campo. Não tínhamos Fernandinho, nem Medina. Depois perdemos Jefferson. Os jogadores estavam extenuados de tanto correr. Sabíamos que o começo seria pesado e que precisaríamos usar todo o elenco. Vai jogar todo mundo. Se está no elenco, tem condições de vestir a camisa”, completou.

Veja também

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius
Futebol

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'
Manifestação

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'