Náutico perde terceira seguida e segue na zona de rebaixamento da Série B

Alvirrubros foram derrotados por 2x0 pelo Brasil de Pelotas

Timbu acumulou terceira derrota seguida na Série BTimbu acumulou terceira derrota seguida na Série B - Foto: Divulgação/Brasil de Pelotas

O Náutico muda a cada jogo, mas somente no papel. Não há diferença se o time entra no 4-4-2 ou 4-3-3. Jogar com dois ou três volantes não interfere na evolução em campo. Na prática, o Timbu segue com os velhos defeitos. Defesa insegura, meio-campo sem criatividade e ataque pouco inspirado. Contra o Brasil de Pelotas, fora de casa, os alvirrubros colecionaram mais um tropeço na Série B do Campeonato Brasileiro. Já são quatro jogos sem vencer, com três derrotas seguidas e nada de gols marcados. Apenas um ponto conquistado em 12 disputados. A derrota por 2x0 deixou os visitantes onde eles já estavam: na 19ª posição. E estagnar na tabela de forma tão precoce acende o sinal de alerta dos pernambucanos.

O técnico Waldemar Lemos fez seis alterações na equipe titular. Duas delas eram esperadas: Gerônimo na vaga de Erick, lesionado, e Alison no lugar de Anselmo, que ficou no Recife para definir se permanece ou não no clube. Além disso, o treinador tirou Joazi, Tiago Alves, Jefferson Renan e Jefferson Nem para colocar David, Aislan, Darlan e Jeanderson, respectivamente. Esse último, lateral-esquerdo de origem, foi improvisado no meio-campo.

Antes mesmo de a bola rolar, o técnico alvirrubro previu qual seria o ponto forte do Brasil de Pelotas: as bolas aéreas. Mas saber o perigo não significou evitá-lo. Os gaúchos chegaram assustando justamente nos lances pelo alto. Primeiro, Rodrigo Silva acertou a trave em cabeçada. No lance seguinte, porém, o Timbu não teve a mesma sorte. Após cobrança de falta, Bruno Lopes cabeceou. Jefferson deu rebote e Wagner completou para o fundo do gol.

A proposta de um time mais seguro com três volantes não surtiu efeito por dois motivos. Não houve marcação reforçada no meio-campo e muito menos a possibilidade de explorar os contra-ataques em velocidade. Uma equipe inoperante na frente e atrás.

O Náutico voltou melhor no segundo tempo, mas ainda assim esteve longe de chegar perto do empate. Aos 20 minutos, Waldemar finalmente mexeu no time. Sacou Jeanderson e colocar Jefferson Nem. Depois acionou Jefferson Renan na vaga de Gerônimo.

Atrás do marcador, o Náutico se lançou à frente. Os chutões marcaram o desespero dos visitantes. A postura deixou o time vulnerável e, como conseqüência, o Brasil de Pelotas aproveitou para matar o jogo. Wagner lançou Nem, que entrou na área para fuzilar e definir os 2x0 no placar. O Timbu volta do Sul sem pontos na bagagem e com muitos problemas para resolver.

Ficha do jogo


Brasil de Pelotas 2

Eduardo Martini, Wender, Leandro Camilo, Evaldo e Marlon; Leandro Leite, João Afonso, Rafinha (Nem) e Bruno Lopes (Itaqui); Wagner e Rodrigo Silva (Gustavo Papa). Técnico: Rogério Zimmermann.

Náutico 0

Jefferson; David, Aislan, Nirley e Manoel; Amaral, Darlan, Rodrigo Souza e Jeanderson (Jefferson Nem); Gerônimo (Jefferson Renan) e Alisson. Técnico: Waldemar Lemos

Local: Bento Freitas (Pelotas/RS)
Árbitro: Luiz César de Oliveira Magalhães (CE). Assistentes: Nailton Junior de Sousa Oliveira e Armando Lopes de Sousa (ambos do CE).
Gols: Wagner (aos 22 do 1ºT) e Nem (aos 39 do 2ºT)
Cartões amarelos: Leandro Leite, Elias, Bruno Lopes, Rodrigo Silva, Wagner, Gustavo Papa (B); Amaral, Gerônimo e Nirley (N)

Veja também

Arsenal é eliminado da FA Cup pelo Southampton; West Ham avança
Futebol Internacional

Arsenal é eliminado da FA Cup pelo Southampton; West Ham avança

Brasil será sede de competições pan-americanas de ginástica
Esportes Olímpicos

Brasil será sede de competições pan-americanas de ginástica