Náutico tenta feito inédito na Série B

Nenhuma equipe que terminou com 23 pontos, faltando 10 jogos, conseguiu escapar da queda à Série C

Equipe, assim como Gilmar, precisa se levantar Equipe, assim como Gilmar, precisa se levantar  - Foto: Paullo Allmeida

Com 23 pontos e na 19ª posição, o Náutico precisa de uma reviravolta gigante na Série B para escapar do rebaixamento. Nesse momento, vale se apegar a tudo: história, retrospecto e fé. O último fator existirá até o momento em que a matemática permitir. Os outros dois, porém, apontam uma tendência pessimista. Considerando a posição na 28ª rodada, nenhum clube que terminou com a atual diferença do Timbu para sair do Z4 da Segundona (nove pontos) conseguiu se safar da queda.

O primeiro exemplo vem do Centro-Oeste. O Vila Nova, na edição 2014 do torneio, também estava na 19ª posição, com 23 pontos. Nos últimos dez jogos, os goianos somaram apenas nove pontos, terminando com 32 (19ª posição). Outro caso é do ABC, no ano seguinte. Também na mesma colocação e com a mesma pontuação atual do Timbu, os potiguares finalizaram a temporada com 32 pontos (igual ao Vila).

Além da atual pontuação, pesa contra o Náutico a diferença para o 17º colocado, o Figueirense. Nove pontos separam os times – catarinenses estão com 32. Nenhum clube conseguiu escapar da degola com uma distância tão grande.

O maior caso de reação recente foi o Ceará, em 2015. O Vozão tinha 26 pontos (três a mais que o Timbu) e ocupava a 17ª posição. Dez rodadas depois, os cearenses encerram o campeonato com 45, em 15º.

Veja também

“Grande Copa do Mundo”, diz Ventura sobre reta final do Sport na Série A
Futebol

“Grande Copa do Mundo”, diz Ventura sobre reta final do Sport na Série A

Japão crê que será difícil realizar Jogos Olímpicos, diz jornal
Olimpíada

Japão crê que será difícil realizar Jogos Olímpicos, diz jornal