Bryan era atacante, mas passou para a lateral direita
Bryan era atacante, mas passou para a lateral direitaFoto: Divulgação

Com as saídas de Joazi, David e Léo, além da lesão de Sueliton, o Náutico ficou sem jogadores na lateral direita para o início da temporada. Lacuna que será preenchida em breve por um atleta que, até pouco tempo, era utilizado como atacante. Nesta última quinta (14), o clube confirmou a vinda de Bryan, de 21 anos, que estava na Chapecoense. Mas do que a contratação, o acerto evidenciou o início de uma parceria entre pernambucanos e catarinenses que pode fazer com que o Timbu receba mais atletas da Chape em 2018.

“Temos uma boa relação e eu me posicionei que seria de interesse nosso contar com alguns atletas que pudessem se encaixar no nosso grupo. Eles (dirigentes da Chapecoense) colocaram alguns nomes e dentro do mapa, Bryan foi um dos que se encaixou. Como o elenco deles é grande, muitos clubes de Série B também estão procurando os atletas. É possível que no final do fechamento dos demais elencos alguns outros nomes também fiquem disponíveis”, afirmou o vice-presidente de futebol, Diógenes Braga.

O dirigente também explicou que a ideia do Timbu é contar com um grupo praticamente fechado já na próxima segunda (18), fazendo “contratações pontuais” até o início oficial da temporada 2018.

“A nossa ideia é partir com o grupo, fazendo algumas avaliações. Não vamos gastar todas nossas fichas nesse momento inicial. O Brasil tem uma capacidade grande de produzir jogadores e, em alguns momentos, o mercado fecha um ciclo e surgem atletas buscando espaço. Nesse momento nós precisaremos ter espaço para agregar algumas situações. Se surgirem algumas oportunidades, vamos incrementar o time”, indicou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: